Como as pessoas pensam que é a vida de uma paciente com doença autoimune e como realmente é!

De manhã: Nossa! Que olheira é essa? Foi para alguma balada? Você tem mal humor matinal! Está atrasado, como você é preguiçosa hein? Oh vida boa, acordar a essa hora!

Realidade: O despertador toca, normalmente após uma noite febril e a sensação é de que um trator passou por cima e deu ré, estica, estrala tudo, o corpo tá rígido mal movimenta. Pisa no chão, aí que dor! Vai escovar os dentes, as mãos tremem, toma banho ainda com a sensação de morta viva, passa 1kg de make para disfarçar as olheiras e a palidez, toma uma porrada de remédios e vai a luta. E o que escutamos?

Hora do almoço: Você já está cansada? O dia mal começou! Ânimo! Você tem que ser mais alto astral, tão nova! Nossa vai comer só isso? Por isso que tá fraca!

Realidade: o dia já poderia acabar ali, pra que tudo isso de horas em um dia? A sensação é de que já correu uma maratona, o maior desejo não é sobremesa e sim deitar e dormir é só acordar amanhã. Comer? Refluxo, esofagite, hérnia, úlcera, gastrite. Efeitos secundários dos medicamentos de uma vida inteira, não, não dá para comer tudo o que gostaríamos, só apenas o que conseguimos.

Fim de tarde: bora correr com a gente no lago? Credo, você não faz nada! Por isso que está gorda ou se estiver magra: precisa ganhar massa! Está com cara de doente!

Realidade: Graças a Deus! Está acabando o dia, não vejo a hora de tomar um banho bem quente, vestir o pijama e ficar em casa e de preferência deitada!

Noite: família: Nossa! Você só reclama! Você não consegue abrir os potes, janelas, portas. Fica chamando a gente toda hora, você fala que está cansada todo dia, que está com dor, que está nervosa, parece velha, não tem ânimo para nada, parece doida, fica com a mão tremendo! Só pensa em você! Acho que você quer é chamar a atenção, tem gente muito pior que você! Reclama de barriga cheia! Precisa arrumar o que fazer!

Realidade: Você passou dor, fadiga, cansaço o dia todo, isso sem crise, dia normalzinho.  Se frustrou o dia inteiro, não acompanhou o ritmo de ninguém, nem os convites e ainda teve que aguentar as críticas. Finalmente chegou em casa e agora pode relaxar e então você ouve tudo isso. Será que realmente somos fracas? Olhando para esse pequeno resumo que não representa nem um terço do que enfrentamos. Somos fortes demais! Aguentamos os sintomas, o preconceito, sabendo que não existe cura e que estamos sujeitos a degenerações de todo tipo e tomamos muitos medicamentos: oral, injetados, infusões, pulsoterapia e etc. Você ainda se acha fraca?

Minha beldade, levanta a sua cabeça e saiba que ninguém além de nós sabemos o que você passa e por essa razão ninguém tem condições para se colocar no nosso lugar. As pessoas julgam a partir das experiências que possuem. Como diz minha amiga autoimune de esclerose múltipla:

” Nós somos tão maravilhosas e tão delícias que até os nossos anticorpos nos querem…” O segredo é saber que não estamos sozinhas, falar sobre a doença com leveza faz bem! Rir de si mesma faz bem! Mas o que faz ainda melhor e dar ao outro o direito de não te entender, lembre-se ele não tem condições para isso. *Ah! Isso sem contar a TPM que ficamos ainda mais inflamadas e 10x pior do que já somos normalmente*.

Me conta se você se identificou? Estamos juntas! Vitória na guerra!
Luz e paz!

Observação: Em dias piores use batom vermelho!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));