Hoje vamos dialogAR sobre nossas emoções, nossa saúde emocional e mental! Vocês já perceberam que quando estamos mais estressados ou com sentimentos de raiva, medo, sentimentos negativos em geral,  as dores da artrite reumatoide aumentam?

Você sabia que a dor e o medo são os sentimentos mais primitivos, assim como a fome e o frio. Sendo que o medo e a dor, são sofrimentos que o ser humano encontra-se totalmente impotente, os quais ele não tem pleno controle, mas os quais ele precisa aprender a conviver e assim tentar controlar da melhor forma possível sua vida.

Todos nós cuidamos de nossa saúde física não é mesmo? Sempre que precisamos, vamos ao médico, ao fisioterapeuta, ao dentista, ao nutricionista, mas muitos esquecem de cuidar da saúde emocional, que é uma das grandes responsáveis pela piora nos quadros de artrite reumatoide, deixando muitas vezes, de procurar a ajuda de um profissional na área, como um psicólogo.

Devemos procurar cuidar melhor de nossa saúde emocional, pois ela interfere e muito em nosso tratamento da artrite reumatoide, assim como de outras doenças reumáticas.  Sabemos que as dores causadas por essas doenças são terríveis e afetam significativamente, o nosso dia à dia, nossas relações interpessoais em casa e no trabalho, nossa auto estima, nosso modo de se relacionar com as pessoas e o mundo, enfim, ela modifica muito nossa rotina diária.

Por isso, muitas vezes temos que modificar e muito nossa vida, causando um estresse e um desgaste emocional, que com o auxílio de uma psicoterapia, seria muito menos desgastante esta mudança de vida e aceitação da doença reumática.

Gostaria de saber de vocês leitores, quais as emoções afetam mais sua doença? E quais os sintomas que vocês acreditam piorar por causa disso? Quero muito poder ajuda-los. Um grande abraço à todos! E podem contar comigo amigos.

Colunista

Psicóloga, formada pela UNISAL , com pós-graduação e especialização em Psicologia Hospitalar pela UNISA. Diagnosticada com AR à quase 7 anos. Amo escrever e ajudar as pessoas a compreenderem melhor a AR, conscientizando a necessidade de uma readequação de vida (tanto física , quanto psicológica, assim como em sua casa e trabalho), para que o paciente tenha mais mobilidade e uma melhor qualidade de vida.
CRP 06/69992

×
Psicóloga

Psicóloga, formada pela UNISAL , com pós-graduação e especialização em Psicologia Hospitalar pela UNISA. Diagnosticada com AR à quase 7 anos. Amo escrever e ajudar as pessoas a compreenderem melhor a AR, conscientizando a necessidade de uma readequação de vida (tanto física , quanto psicológica, assim como em sua casa e trabalho), para que o paciente tenha mais mobilidade e uma melhor qualidade de vida.
CRP 06/69992

Latest Posts
Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

  1. Desde que perdir minha Vó e meu pai nesses dois últimos anos, minha dores aumentaram não consegui mas sair das crises

    • Olá Camila a perda de um ente querido mexe muito com nossas emoções e isso acaba afetando a doença, sugiro a você procurar ajuda psicológica para enfrentar isso.

Olá, deixe um comentário!