Minha ultima internação

Estou entrando no 6º mês de medicamento biológico Anti-TNF, minha AR continua em atividade, agora voltou a doer meus joelhos, evidente o sobrepeso ajuda muito, porém, isso me preocupa, pois foram os joelhos um dos primeiros a sofrerem o efeito da AR. No começo da doença, tive artrose precoce no joelho esquerdo ainda no 1º ano da AR, na época encaminhada ao Ambulatório do Joelho, fui direcionada a fisioterapia e atividade física sem impacto articular, enfim, hoje a dor no joelho me perturba, pois da 1º vez eu não trazia nenhuma lesão de quadril e então, foi mais fácil, pois hoje, dói o quadril e dói o joelho, a melhor posição para dormir quando o joelho dói, é para mim usando um triângulo sobre as pernas, porém, como fazer isso, quando o quadril dói, dói deitada, dói de lado, dói de barriga pra cima, dói de barriga pra baixo, dói sentada, dói de pé, dói andando e simplesmente dói pra tudo. Isso tem me preocupado, já retomei a Ressonâncias anuais, estou fazendo mãos e punhos, quadril, joelhos e tornozelos, o convênio deve estar adorando, antes uma Ressonância à  uma radiografia inespecífica. Mantenho VHS e PCR elevados como sempre, FR negativos, função renal e hepática preservadas e em breve estarei indo a minha reumato.

Acredito que caminho para a troca do medicamento biológico ou acrescentar algo ao biológico atual, estou fazendo febre da AR há + de 3 meses, a febre cedeu apenas nos 3 primeiros meses e na época minha reumato lembrou que, é preciso esperar o medicamento fazer efeito, mas pelo caminhar das articulações, sinto que falta algo e confesso, sinto falta do Metrothexate, mas vai entender esse nosso organismo, depois de 2 anos e meio de uso contínuo de MTX, hoje se eu tomar MTX fico tossindo que mal da para dormir. E agora, como voltar a atividade física e fisioterapia com AR em atividade, penso que, voltar a academia vai doer muito, mas sei que dói apenas nas primeiras semanas e depois essa dor se transformará em músculos mais fortalecidos para melhor suporte as articulações não tão boas assim. E sem falar no sobrepeso, também volto ao endócrino para dar uma olhadinha na tireoide, pois desde os 16 anos tenho hipotireoidismo, o que dificulta muito a perda de peso, depois das doses cavalares de cortisona em 2009 e 2010, essa questão “peso” ficou muito pior.

Mas como tudo tem seu lado bom, apesar de tudo, da lesão no quadril, dos quilos a mais, eu voltei a enxergar a visão total no olho direito e a central no esquerdo, o Neuro-Oftalmo disse que a lesão no meu nervo ótico se consolidou, está estacionada e vamos acreditar que não voltará.
Em Agosto/Setembro de 2010, foi minha última internação, apesar de tudo, eu agradeço a Deus continuamente, afinal, para quem passou 14 meses internando direto, 1 ano sem internar é motivo de comemoração, nem eu acreditava que tudo aquilo iria passar, mas passou, um alívio posso dizer, como disse a Dona Rioko Kudo no meu primeiro episódio da neurite ótica, “filha até as piores crises passam” e agora posso certificar, até eu pensei que não iria passar”. A dor é fácil de superar, difícil foi não enxergar.

Na minha última internação, numa conversa com Tiago pela webcam, lembro que nesse dia estava já há 2 semanas sem voltar para casa e de fato estava muito triste, fingia estar tudo bem para o Tiago não perceber, então, ele disfarçou e colocou a mãozinha no microfone e disse assim “vó a minha mãe ta fingindo, eu sei que ela está triste”. Acho  que nunca mostrei isso aqui no blog, mas nem preciso dizer, que nesse momento, chorei eu,Tiago e minha mãe também, enfim passou.

Comentários
if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: