Doutor, o tratamento não está dando certo ou até está, mas estou sofrendo com ele

Harmonia, cumplicidade, boa comunicação e confiança são as palavras chaves para a boa relação entre médicos e pacientes

A premissa básica da relação médico x paciente é algo simples: as pessoas se tornam pacientes porque desenvolvem algum tipo de doença, os médicos querem tornar a vida dessas pessoas melhor, avaliam suas doenças, prescrevem medicamentos e as mandam para casa. Médicos estudavam para serem médicos, pacientes não estudam para serem pacientes, apenas se tornam pacientes é um processo natural e doloroso da vida. Reumatologistas estudam para gerenciar a doença, pacientes simplesmente são predestinados a aprenderem a gerenciar a doença que a vida lhes deu, por isso, precisam aprenderem sobretudo, a estabelecerem uma relação harmoniosa com um reumatologista, para trilhar a estrada dessa vida artrítica, mas alguns conflitos podem surgir, os mais comuns são:

Doutor estou com dor: a vida com artrite não deve ser assim, se a dor é uma constante, a doença não está adequadamente controlada, o uso do analgésico e anti-inflamatório na artrite reumatoide deve ser criterioso, raramente são utilizados por mais de sete dias. Os medicamentos que controlam a doença são os medicamentos modificadores do curso da doença sintéticos ou biológicos. Se você tem dor todo dia, articule com o seu médico sobre o plano medicamentoso de sua doença.

Doutor eu li na internet que: as pesquisas na internet, são verdadeiras perdições, no entanto a melhor pessoa para orientar os pacientes são os seus médicos, portanto, anote suas dúvidas “coerentes”, e as faça durante a consulta, procure não enviar e-mail e mensagens eletrônicas (whatsapp e sms) para perguntar sobre aqueles tratamentos alternativos e exames miraculosos que leu na internet, certamente seu médico, gostaria de dedicar seu tempo para atender suas necessidades médicas.

Doutor, o tratamento não está dando certo ou até está, mas estou sofrendo com ele: o paciente é o melhor indicador para apontar se um tratamento não está dando certo, a ineficácia ou o desejo de mudança poderá estar relacionada a várias razões, muitas vezes o paciente não consegue utilizar o medicamento devido a ocorrência de efeitos colaterais importantes como a exemplos do metotrexato onde alguns pacientes relatam reações que referem considerarem serem mais fortes que as próprias dores da artrite, tais como: mal-estar generalizado, reações gastrointestinais (náuseas, vômitos, diarreia), dores de cabeça e até mesmo erupções cutânea, interferindo nas atividades do dia a dia. Em situações como essas articule com o seu médico sobre a necessidade pessoal de troca de medicamento para que possa dar seguimento no tratamento da doença e seguimento da vida social.

Os principais conflitos na relação entre médicos e pacientes com artrite reumatoide são passíveis de serem solucionados com uma conversa clara e objetiva de ambas as partes. Pacientes que estão com dores e intolerâncias a medicamentos, não precisam ficarem sofrendo, médicos estão preparados para ouvirem queixas de pacientes sobre a insatisfação com as reações adversas de medicamentos ou permanência das dores, no entanto, pacientes que não reclamam, são compreendidos como se estivessem bem. Portanto, articule sempre, sobre suas dores e as reações adversas a medicamentos.13932827_1134725626587835_7468746172776395824_n

Anúncios

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

4 Comentários

  1. Eu dizia me sentir muito mal com o mtx, sem nem conseguir sair de casa e a médica me dizia ser normal, que eu parasse de reclamar pois não iria mudar a minha medicação muito menos me dar biológicos. Kkkkk. Mudei de médica e já mudei de novo. Agora parece que acertei e estou terminando os exames para iniciar o biológico.
    Minha médica atual me diz exatamente o que está na matéria.

    • Se o médico não se preocupa em manter o seu bem estar, temos de trocar de médico. O médico e paciente devem manter um dialogo aberto sobre o tratamento, buscar as formas possiveis que existem para que o tratamento dê certo. nos envie um e-mail com a sua foto para colocarmos o seu depoimento na campanha #ARticule, é muito importante compartilhar sua experiencia com outros pacientes. Envie para encontrar@encontrar.org.br

  2. Olá, fui diagnosticada com ssjogren e AR em 2010, porém não apresentava sintomas e com isso não dava muita importância ao tratamento, de uns tempos pra cá a doença foi se mostrando e com isso venho sentindo muitas dores da artrite são tantas que muitas das vezes choro de dor. Trabalho e ao me levantar é uma tortura diária, faço uso de prednisona, reuquinol e metratexato, esse último eu só tomo quando não aguento mais, sou um pouco rebelde com o tratamento, esse remédio me faz mal, meus cabelos caíram muito ao ponto de ter que cortar, sinto me desanimada com essa situação…. Essa é um pouco da minha história, achei o grupo pesquisando sobre a artrite e me sentir um pouco melhor quando li os postos.
    Ah vi tbm que é possível adquirir os medicamentos pelo SUS porém não tenho idéia de como fazer, alguém pode me ajudar??

    • Olá Carina, envie um e-mail para encontrar@encontrar.org.br com a relação de medicamentos que você quer retirar pelo SUS e lhe passarei todas as informações necessarias para você ter esse direito. Em relação ao tratamento, é preciso seguir a risca o tratamento, não parar ou tomar desordenadamente, isso é muito prejudicial, a queda de cabelo é normal até os 3 primeiros meses, depois disso deve-se ter acompanhamento de dermatologista.

Se você gostou dessa publicação, nos incentive a continuar, deixe seu comentário!