Depoimentos

Superando a artrite idiopática juvenil: entre crises e momentos amenos realizei meu sonho da graduação

Meu nome é Samanta Ferreira tenho 31 anos. Sempre tive dores no joelho e quadris quando era criança, mas aquela velha história a “tal da dor do crescimento” passei 5 anos indo ao médico e ouvindo isso e tomando analgésicos, até que um dia a crise veio com tudo e passei um mês com febres de 40º, com todas as articulações inchadas e manchas pelo corpo    todo, depois desse “um mês” fiz exames específicos e foi diagnosticada a Artrite Reumatoide Juvenil (AIJ), então finalmente começamos o tratamento.

No começo foi difícil, era tudo novo para mim, por muitas vezes cheguei a pensar que iria morrer, os efeitos colaterais eram horríveis, mas com o tempo a própria doença me mostrou o quão forte ainda podia ser, então resolvi viver a vida da melhor maneira possível.

Entre crises e momentos amenos realizei meu sonho da graduação, por mais que soubesse que trabalhar seria um desafio, eu queria ter o meu diploma, porque sempre gostei de estudar e por conta da doença, por muitas vezes tive que me afastar da escola na infância, então esse sempre foi o meu maior desafio pessoal e eu consegui vencer.

Estudar e me formar foi uma das minhas maiores batalhas, pois tinha dias que mal podia segurar a caneta nas mãos, ou tinha que assistir aula em pé porque dobrar os quadris e joelhos era muito doloroso, mas eu venci mais essa etapa.

Os anos passaram em meio a tantas crises e doses altas de corticoides fiquei com bastante sequelas, artroses e osteoporose, há um ano fiz cirurgia de próteses de quadril, e hoje aguardo liberação para cirurgia das mãos e punhos.

Infelizmente sem intenção, acabei perdendo o tratamento nesse um ano pois perdi minhas consultas com o reumatologista do SUS por que não podia andar e não tinha como ir ao hospital, então entrei em crise novamente, hoje estou em acompanhamento no clinico e ortopedista,  que estão amenizando minhas dores com corticoides e analgésicos e aguardo a consulta na fila de prioridades há 7 meses.

Apesar de tudo me considero uma das pessoas mais felizes e realizada do mundo, pois sempre tive todo o apoio possível da minha família, amigos e Deus ainda pode me surpreender, com um companheiro sem igual, alguém que tem uma empatia por tudo que eu passo e me dá o suporte que preciso, então logo estarei realizando meu segundo sonho que é ir ao altar. Essa é um resumo da minha história, obrigado por me deixar compartilhAR com vocês.

Minha palavra de apoio:

Encontramos obstáculos pelo caminho, e muita vitória durante a jornada. Muita força de vontade, acredite sempre no dia seguinte.

Me chamo Samm Ferreira, tenha 31 anos, sou auxiliar de costura, convivo com artrite idiopática juvenil e moro no Paraná.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença! É super simples, basta preencher o formulário no link:https://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!

Related posts

Não desista jamais de sonhos. No final tudo dá certo!

Priscila Torres

Apesar de ter que ouvir que eu brinco de ficar doente, eu não me abalo

Priscila Torres

Quem vive com AR tem que aprender a lidar com as limitações

Priscila Torres
Loading...