Notícias

Hospital da Luz Coimbra realiza prótese de joelho personalizada

Armando Pires, ortopedista no Hospital da Luz Coimbra (HLC) e responsável pelo Centro Clínico da Patologia do Joelho (CCPJ), realizou mais uma prótese de joelho utilizando a tecnologia das barras de corte computorizadas. Consciente da importância desta área da cirurgia ortopédica, com a crescente necessidade de intervenção no tratamento de lesões e no restabelecimento da correta locomoção dos doentes, o Hospital da Luz Coimbra continua a fazer uma forte aposta neste Centro Clínico da Patologia do Joelho, disponibilizando, além disso, meios de diagnóstico mais sensíveis e capacidade para técnicas cirúrgicas menos invasivas.

Com mais de 15 mil cirurgias realizadas ao longo da sua carreira, Armando Pires é um dos principais especialistas nacionais na utilização da tecnologia das barras de corte computorizadas, a qual permite colocar próteses feitas à medida de cada doente.

As próteses personalizadas têm registado uma enorme evolução, como refere o ortopedista: “Trata-se de um sistema revolucionário no tratamento da artrose do joelho, só conhecido e utilizado nos melhores centros mundiais de cirurgia, que é feito à medida de cada doente. Após a realização da Ressonância Magnética, é enviado um modelo tridimensional para um centro especializado nos Estados Unidos. Este, após receção do estudo, e com a ajuda da engenharia informática, realiza as barras de corte adaptadas ao doente para a correta e personalizada realização da prótese, tornando-a assim mais equilibrada, com melhor mobilidade, menos dolorosa e com maior durabilidade”.

Este método permite maior rapidez nas cirurgias, menos tempo de anestesia e, consequentemente menos sangramento. “Estas vantagens ajudam a reduzir o número de transfusões sanguíneas, de material cirúrgico e de risco de infeções. Às vantagens apresentadas acresce ainda o tempo de internamento reduzido, a menor agressão cirúrgica, a recuperação mais rápida e a menor necessidade de cirurgia de revisão”, acrescenta ainda o especialista.

Armando Pires relembra que “o joelho é a maior articulação do corpo humano e podem existir complicações em todas as idades, mas o aumento da prática desportiva entre a população está na origem de algumas lesões, como lesões meniscais e ligamentares, lesões de cartilagem ou entorses. À medida que a idade avança, surgem também as artroses, uma patologia cada vez mais frequente”.

Este ortopedista do HLC é ainda especialista nos seguintes tratamentos: artroscopia do joelho (cirurgia minimamente invasiva), artroplastia (próteses totais e parciais do joelho), revisão de prótese, ligamentoplastia (reconstrução do ligamento cruzado anterior ou posterior), meniscectomia (remoção parcial ou total do menisco), cirurgia de instabilidade rotuliana e femuro patelar, tratamento de lesões de cartilagem e tratamento de artroses do joelho, cirurgia de instabilidade rotuliana e femuro patelar, mosaicoplastia, osteotomia do joelho (correções de desvios de eixo anatómico) e ainda viscossuplementação, ozonoterapia e patologia ortotraumatologica em geral.

Artigos Relacionados

Pesquisa da UFSCar busca voluntários idosos com fibromialgia

Priscila Torres

Startup ajuda desempregado a encontrar emprego sem sair de casa

Priscila Torres

Mutirão para exame de fundo de olho para diabéticos começa neste sábado

Priscila Torres