Se todos olhassem para os pacientes de Artrite Reumatoide com mais carinho e atenção e não com preconceito, nossas vidas seriam um pouco melhor

Em junho de 2012 depois de andar meses por vários médicos e parar diversas vezes no pronto socorro com dores insuportáveis, pés e mãos super inchados. Fui encaminhada a um reumatologista, que depois de solicitar alguns exames me deu os diagnósticos de Artrite Reumatoide, desde então venho fazendo tratamento com vários remédios tem 27 anos e há 3 anos tenho AR.
No início foi bem difícil pra mim, pois as dores eram tão forte que tinha dias que eu nem andava, e como estava no último período da faculdade, tive muita dificuldade pra concluir, tive depressão, porque tudo era algo sem sentido pra mim que sempre tive uma vida normal e tinhas muitos sonhos, e com a AR ficava muito limitada. Mas com muita fé em Deus venho buscando forças para não desistir e deixar a AR me vencer.

Quais eram os seus sinais e sintomas? o que você sentia?
Dores insuportáveis nas mãos, pés, ombros e joelhos. E quase sempre inchados e roxos.

Você sofreu algum tipo de preconceito?
Sim, muitas vezes, por parentes, no trabalho e colegas de faculdades. Todos acham que pelo fato de eu ser tão nova, e  aparentemente não ter nada, não poderia sentir as dores que sentia todos os dias, como quase todos falam…”Você é tão nova pra ter uma doença de velho.”

Dos primeiros sintomas até chegar o diagnóstico, quanto tempo demorou?
Uns 5 meses

Qual  foi  a  especialidade  do  primeiro  médico  que  você  passou?  e  do  médico  que fechou o seu diagnostico?
Depois de passar por um especialista de mão, ele me encaminhou a um reumatologista, que depois de alguns exames me diagnosticou com AR.

Quais foram os exames que ajudaram a fechar o seu diagnóstico? 
Vários exames de sangue, que não sei especificar agora, e exames nos meus pés, mãos e áreas com inchaços.

Qual foi o seu primeiro tratamento medicamentoso? 
As medicações usadas no começo da AR foram: Omeprazol, Prednizona ,Metotrexato, Reuquinol, Naproxeno, Ácido fólico.

Como é o seu tratamento hoje?
Hoje faço uso de Omeprazol, Prednizona, Metotrexato, Reuquinol, Naproxeno, Ácido fólico, Humira, Cálcio.

Você sofreu o sofre com efeitos colaterais dos medicamentos? como convive com isso? Alguma dica? Como é seu dia a dia com os remédios?
Sim, muitas… Queda de cabelos, unhas fechadas, pele ressecadas, as vezes vômitos e tonturas, dores forte no estômago, imunidade baixa, perda de apetite.

O que passou pela sua cabeça, quando o médico falou “você tem a doença”? 
Que com o tempo eu iria ficar dependente e limitada a muitas coisas.

A doença de alguma forma mudou a sua vida? se mudou, conte­nos, o que mudou e Como mudou? 
Sim mudou, hoje já não tenho ânimo pra festas, lugares que envolva qualquer tipo de agitação. Troco tudo por calmaria e descanso.

O que você fazia antes da doença e hoje não faz mais? 
Trabalhar, atividades domésticas, esportes. Principalmente brincar com meus cachorros.

Você tem alguma dica de como ter mais qualidade de vida para compartilhar com outros pacientes? Qual é? 

Caminhadas e comidas saudáveis.

Se você pudesse melhorar alguma coisa no tratamento da sua doença no Brasil, o que mudaria?
Que todos os remédios do tratamento fosse distribuídos pelo SUS pois tem uns bem caros, poderia ter mais atividades de graças para paciente de AR.

Quer falar mais alguma coisa?
Se todos olhassem para os pacientes de Artrite Reumatoide com mais carinho e atenção e não com preconceito, nossas vidas seriam um pouco melhor.

Deixe uma frase de incentivo, apoio:
Deus não nos dar mais do que podemos suportar, mas sei bem os dias de crises, entao não podemos desistir.

Sou a Meyre Martins, tenho 27 anos e há 3, convivo com Artrite Reumatoide, sou Industriária afastada do trabalho  e moro em Manaús/Amazonas.

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!