Consulta pública aberta para recomendar o Tocilizumabe (Actemra) como opção de tratamento para pacientes que não podem utilizar Metotrexato

Ministério da Saúde, recebe contribuições até o dia 16 de junho. Essa decisão ajudará principalmente pessoas com artrite reumatoide que não podem utilizar o metotrexato, em especial aquelas que precisam tomar um único medicamento como tratamento, que é a principal indicação terapêutica do Tocilizumabe (Actemra).

Se você utiliza este medicamento ou apenas tem artrite reumatoide, pode participar da consulta pública, enviando a sua evidência de paciente, contribua e ajude o SUS a entender às necessidades da pessoa com artrite reumatoide e artrite idiopátiva juvenil no Brasil.

A Comissão de Avaliação de Tecnologias no SUS, convoca toda sociedade civil para participar da Consulta Pública Nº 14/2016, que tem por objetivo recomendar o uso de Tociluzumabe (Actemra) como primeira linha em monoterapia, para o tratamento da Artrite Reumatoide. moderada a grave.

O que é “Tocilizumabe (Actemra), como primeira linha em monoterapia?

Primeira linha de tratamento com medicamento biológico é orientar a prescrição do Tocilizumabe (Actemra) como a primeira opção quando o paciente precisa de medicamento biológico, abrindo a possibilidade de prescrever o Tocilizumabe para pacientes que não podem tomar metotrexato. Desta forma o médico terá autonomia clínica para avaliar a necessidade do paciente, não ficando preso a critérios técnicos do protocolo de tratamento no SUS, podendo então, se apoiar na necessidade do paciente.
Monoterapia no tratamento da Artrite Reumatoide é quando o paciente recebe um único medicamento, ou seja, o Tocilizumabe (Actemra) é um medicamento biológico que pode ser utilizado sem o uso associado à metotrexate e outros medicamentos sintéticos.

Quais são os medicamentos biológicos de primeira linha hoje no SUS? 
O protocolo de tratamento da artrite reumatoide, determina que as primeiras opções em medicamentos biológicos devem ser os biológicos chamados agentes anti-TNF, são eles: adalimumabe,etanercepte, certolizumabe pegol, infliximabe ou golimumabe. O objetivo desta consulta é incluir o Tocilizumabe (Actemra) como uma oportunidade de tratamento também de primeira escolha médica, ressaltando a possibilidade de utiliza-lo em monoterapia.

Oportunidade de tratamento

Marina-Leao-6 anos, usuária de Tocilizumabe
Marina-Leao-6 anos, usuária de Tocilizumabe em monoterapia em primeira linha.

Oportunidade foi o que teve a pequena Marina Leão, ela que tem 6 anos e há 4 convive com Artrite Idiopática Juvenil, há 1 ano e meio, através de um protocolo de pesquisa clínica, está recebendo o “Tocilizumabe (Actemra)” como primeira opção de medicamento biológico, somente após essa oportunidade de tratamento, Marina conseguiu recuperar sua qualidade de vida, é o que declara a mãe, Cibeli Leão “o estudo com tocilizumabe representou praticamente a cura da minha filha, em apenas duas aplicações os sintomas da artrite foram embora é ela ganhou qualidade de vida,  já que a medicação não tem efeito colateral e usada de forma subcutânea a cada 21 dias”. Antes do Tocilizumabe, Marina chegou a utilizar altas doses de Metotrexato, que lhe traziam grandes efeitos colaterais e ainda assim, não foi suficiente para  controlar a doença, somente após receber o Tocilizumabe em monoterapia, foi possível atingir a remissão doença, o que hoje lhe permite praticar inclusive, ginástica olímpica e ter uma vida compatível com uma criança que não tenha artrite idiopática juvenil.

SUS publica a consulta pública com parecer negativo

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia do SUS (Conitec), publicou essa consulta pública com parecer negativo, ou seja, segundo o relatório da Conitec, o SUS não aprova a incorporação do Tocilizumabe (Actemra) como primeira linha em monoterapia para o tratamento da artrite reumatoide.

Negativa-conitec

Se você utiliza o Tocilizumabe ou apenas se for paciente ou familiar,  participe dessa consulta pública e diga ao SUS, o que você pensa à respeito.

Sobre o Tociluzumabe (Actemra) 

Tecnologia: Tocilizumabe (Actemra®)

Indicação: Primeira linha de agentes biológicos para o tratamento da artrite reumatoide.

Fabricante: Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A.

O medicamento Tocilizumabe (Actemra) faz parte da lista de medicamentos fornecidos pelo Ministério da Saúde e Planos de Saúde, para tratamento da artrite reumatoide, através do Protocolo Clínicos e Diretrizes Terapêuticas da Artrite Reumatoide e Rol de procedimentos e coberturas mínimas obrigatórias da ANS “Agência Nacional de Saúde Suplementar”

O tocilizumabe faz parte do grupo dos novos medicamentos modificadores do curso da doença biológicos (MMCDs biológicos), também conhecidos como agentes biológicos, por modificar a resposta biológica do organismo na artrite reumatoide (AR).

O tocilizumabe é um anticorpo humanizado que bloqueia a ação da interleucina 6 (IL-6), citocina com papel pivotal no desencadeamento e manutenção da inflamação crônica na AR.

É um medicamento de uso ambulatorial/hospitalar, administrado através de infusão endovenosa (na veia) geralmente, em clínicas de infusão ou ambulatórios/hospitais habilitados e já está disponível no Brasil, a versão subcutânea, pode ser administrado pelo próprio paciente.

Dê a sua contribuição, participe da consulta pública

Faça sua contribuição, participe, preencha o formulário e expresse sua experiencia e opinião sobre o tratamento. Participando você estará contribuindo para que ele seja fornecido para as pessoas que necessitarem.
As contribuições podem ser enviadas até o dia 16 de junho de 2016

 Quem pode contribuir?
Pacientes, amigos e familiares, profissionais da saúde, associações de pacientes e toda sociedade civil, para contribuir basta preencher o formulário eletrônico, disponível neste linK: http://goo.gl/ktsz9b 

Pacientes devem contribui enviando sua experiência ou opinião e profissionais da saúde devem contribuir como "contribuição técnica-cientifica".
Pacientes devem contribui enviando sua experiência ou opinião e profissionais da saúde devem contribuir como “contribuição técnica-cientifica”.

Como contribuir?
Existem duas formas de contribuir:
► Experiência ou opinião: “evidência do paciente” – “como paciente, familiar ou sociedade civil”, contando a sua  Experiência ou opinião, nesse tipo de contribuição você pode compartilhar sua experiência com o uso do Tocilizumabe e convivência com a doença. Caso não seja usuário de Tocilizumabe, ainda assim você pode contribuir, falando sobre a sua experiência de vida com a doença e as razões que te fazem acreditar na importância do Tocilizumabe como primeira linha em monotorapia fornecido pelo SUS.
Contribuição técnica-científica: evidência científica – Contribuindo com análise médica da consulta pública, enviando documentos e artigos científicos que provem a eficácia, segurança e custo-efetividade do Tocilizumabe com base em evidências ciêntificas, este tipo de contribuição é voltada para associação de pacientes através do conselho cientifico, médicos e profissionais da saúde.

Leia o relatório para sociedade e entenda melhor:

RelatorioSociedade_Tocilizumabe_ArtriteReumatoide_CP_14_2016-1

Saiba o que diz o Relatório Científico emitido pela CONITEC (SUS):
Relatorio_Tocilizumabe_AR_CP_14_2016-1

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

6 Comentários

    • Olá, a consulta pública teve resultado negativo, o Ministério da Saúde ñ aprovou o Tocilizumabe como primeira linha no tratamento da artrite reumatoide, mas a luta continua e bem provável que em breve teremos novas consultas públicas. Obrigada por perguntar.

Olá, deixe um comentário!