Viva um dia de cada vez

Quando eu tinha 14 anos sentia fortes dores nos punhos e calcanhares. Fui a PUC porque nesta época morava em Campinas SP, lá disseram que eu era portadora de febre reumática. Fiz tratamento de 2 anos a base de penicilina (benzetacil). Passado dois anos fui a outro reumatologista onde descobri que eu tinha DITC (doença indiferenciada do tecido conjuntivo), voltei para minha terra natal Teresina Pi com esse diagnóstico.

Apareceu então fenômeno de Renault, fiz pulsoterapia com solumedrol e xilocaina e depois entraram com a pulso de ciclosfamida e continuava com a doença ativa. Em 2004 voltei a Campinas desta vez passei por um anjo bem conhecido Dr. Percival, esse aprofundou tudo que podia e disse que eu só sairia de lá com o diagnóstico.

Depois de 16 dias de exames enfim descobriram que eu era portadora de Esclerodermia. Voltando para minha terra continuei o tratamento, vieram algumas complicações como esofagite, úlceras de polpas digitais, depressão e outras questões.

Em 2007 perdi minha mãe, casamento foi por água a abaixo. Em 2008 engravidei, e sabia que era uma gravidez de alto risco, minha filha nascei prematura de 6 meses e 3 semanas, ficou na UTI neonatal e sobreviveu graças a Deus.

No ano de 2012 descobri uma insuficiência da válvula mitral onde resultou em uma cirurgia cardíaca gravíssima. Foram 16 dias de internação 5 de UTI mais foi um sucesso. No ano seguinte 2013 apareceu uma nefropatia crônica perdas de proteínas mais de 4 gramas devido ter válvula metálica mitral não pude fazer biopsia foi tratado a olho nu e em seguida o segundo diagnóstico LÚPUS.

Em 06 Dezembro de 2018 tive um infarto fiz cateterismo, uti e mais dias internada. Enfim estou viva graças a Deus e podem até não acreditar, apesar de tudo eu sou muito feliz.

Acredite em Deus acima de tudo e creia que você é capaz de viver com a doença mesmo em altos e baixos. Viva um dia de cada vez.

Meu nome é Cleudiceia, sou Técnica de Enfermagem e moro no Tersina – Piauí

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, basta preencher o formulário no link 👉http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤️

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: