Sorriso da gratidão de quem venceu a obesidade e colocou a artrite reumatoide para dormir!

Fotos de antes e depois tem um grande significado, pois provam que, apesar da obesidade visível, eu nunca me enxerguei deste tamanho, nunca sofri por ser obesa, nunca me achei feia por isso e convivia bem com o status de “gordinha”. Durante quase uma década meu reumatologista foi a única pessoa que afirmava “Pri você precisa emagrecer, você está obesa”, e por ele nunca ter desistido de me mostrar a verdade, um dia despertei e aceitei que o status de gordinha, poderia anos mais tarde se converter no status “limitado, comprometida e cheia de comorbidades”.

Pesquisas apontam que o risco cardiovascular é naturalmente ampliado em pacientes com artrite reumatoide, que em 10 anos de doença, até 60% dos pacientes podem desenvolver obesidade e até 50% deles podem desenvolver algum tipo de doença cardiovascular. Os estudos apontam ainda que o sedentarismo é 4 vezes maior em pacientes com artrite reumatoide. Eu estava dentro de todos esses prognósticos: colesterol elevado, IMC superior a 38, pré-diabética e claro, sedentária. Para mim era como, uma tragédia anunciada, era muito mais do que perder peso, era sobre conquistar saúde, longevidade e qualidade de vida.

Hoje é Dia Mundial de Conscientização da Obesidade e precisamos falar que a obesidade é uma doença e precisa ser tratada! Não aceite as possibilidades dos piores prognósticos, não desistam jamais de lutar por sua qualidade de vida! Artrite Reumatoide não tem cura, obesidade tem!

Sempre me perguntam se a cirurgia bariátrica melhorou a artrite reumatoide ? É bem fácil entender, com a perda de peso, a adesão à prática de atividade física e alimentação obrigatoriamente saudável, melhorei todos os indicadores de comorbidades, principalmente a boa resposta ao medicamento biológico, pois na situação de obesa, eu havia perdido eficácia à 3 biológicos e estou hoje usando o 4º biológico em monoterapia e em remissão mantida.

Resumo da minha bariátrica: 

  • Cirurgia bariátrica realizada pela técnica Sleeve Gástrico no dia 25 de setembro de 2018
  • Peso na data da cirurgia:  92 kilos – IMC de 38, 3 com 1.56 cm.
  • Peso atual, 66 kilos com IMC de 27,
  • Total de 26 kilos eliminados.
  • Manequim na data da cirurgia nº 48, manequim atual 38.
  • Atividade física regular, pelo menos 4 vezes por semana, divididas entre musculação, pilates solo, jump e pilates em estúdio.

Informações importantes sobre a cirurgia bariátrica: 

  • Precisamos falar, tratar e combater a obesidade, ela é uma das maiores inimigas da qualidade de vida das pessoas com doenças inflamatórias, como por exemplo a artrite reumatoide e diversas doenças reumáticas.
  • A cirurgia bariátrica não é e nunca deve ser a primeira escolha para o emagrecimento, somente devemos pensar nessa alternativa depois de pelo menos 2 anos tentando emagrecer com acompanhamento médico, nutricional -reeducação alimentar e pratica de atividade física.
  • A obesidade deve fazer parte da conversa e decisões compartilhadas com o reumatologista #sempre.
  • Quando o reumatologista fala que “precisamos emagrecer”não é chatice, é cuidado + claro, odiamos com todas as forças ouvir isso, por isso, que tal, buscarmos a mudança.
  • Segundo o Rol de cobertura obrigatória da ANS: os planos de saúde são obrigados a fornecer cobertura completa ao tratamento da cirurgia bariátrica para pessoas com obesidade e IMC acima de 35 e doenças crônicas, como a artrite, artrose, diabetes, hipertensão e depressão, doenças bastante comuns que são agravadas pela obesidade.

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Planejar aposentadoria fica ainda mais difícil na pandemia

Trabalhador deve conhecer sua vida contributiva e as regras da Previdência antes do pedido A pandemia de Covid-19, a crise econômica e a reforma da...

Procure conhecer tudo à respeito da sua doença e como você pode se ajudar! E acima de tudo, nunca desista!

No final de 2015, tive uma febre tão alta que me debatia na cama. Depois disso, não conseguia mais escovar dentes, pentear os cabelos,...

Live irá debater a falta de medicamentos nas Farmácias de Alto Custo

ReumaLive: Direitos dos Pacientes: Assistência Farmacêutica Em dezembro de 2020, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), emitiu um documento em que foi declarado...