Seja persistente e não deixe que a dor seja um obstáculo na sua vida

Logo que tive minha filha caçula de 3 anos (tenho 3 filhos), comecei a sentir dores nos meus pés, fiz ressonância e havia alguns derrames articulares, passado alguns meses as dores avançaram para os joelhos, punhos, cotovelos e mãos. Todas as minhas articulações doíam muito e eu mesmo com dores continuava cuidando dos filhos pequenos e da casa.

As dores estavam insuportáveis e comecei minha saga atrás de um diagnóstico. Passei por 8 médicos entre reumatos e ortopedistas, cheguei a ouvir: “você está vendendo saúde, seus exames de sangue estão ótimos”. Eu morava no Mato Grosso e me mudei para o RJ no ano de 2019, já estava alguns meses sem crises, elas oscilavam bastante, mas nesse mesmo ano tive uma crise muito feia, acordei no dia do meu aniversário com meu pulso direito muito inchado e dores no joelho, fui em uma reumato e já cheguei desabafando srrsr, que ela era a 8° Médica que eu ia e que até hoje ninguém havia me ajudado, ela prontamente me disse: “você vai ter seu diagnóstico, vamos juntas” ❤

Fiz uma nova ressonância e lá estava um derrame articular no punho, depois de vários exames, vários e vários, minha reumato me deu o diagnóstico de artrite reumatoide. Comecei o tratamento com hidroxicloroquina, tudo estava bem, sem crises, até que em outubro tive covid e pronto, atacou todas as articulações, a hidroxicloroquina sozinha já não bastava, então comecei a tomar também o Metotrexato. Até o momento melhorou as dores, porém, o derrame articular do punho está aqui até hoje… meu sonho é acordar e sentir meu punho como era antes.

Tenho dificuldade de abrir maçanetas, ligar a chave do carro, etc. Em todo esse período nunca abandonei a atividade física, faço funcional e mesmo sendo exercícios de impacto sinto que me ajuda no fortalecimento das articulações, muitas vezes fui treinar com dor e voltei sem elas. Sempre tive o pensamento de que eu preciso ser maior e mais forte que a dor. Vamos vivendo e vencendo um dia de cada vez… mas desistir não está nos meus planos 🥰

Não desista de encontrar um médico que lhe acolha, passe por quantos forem necessários, você irá encontrar alguém que acredita nas suas dores. Mesmo com dor, não deixe de viver a sua vida, a sua rotina, seja maior e mais forte que a sua dor.

Me chamo Fran, tenho 38 anos, convivo com a Artrite reumatoide a 2 anos e meio, sou Doula e moro em Teresópolis-RJ.

Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!⠀

É simples, preencha o formulário no link https://www.surveymonkey.com/r/depoimentoBlogAR

Doe a sua história! ❤

#Depoimento⠀

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Não me conformei com a opinião de apenas um médico

Comecei a ter sintomas com 36/37 anos, o médico tratava como LER (Lúpus eritematoso sistêmico) que custou o diagnóstico… Depois passei a tomar anti-inflamatórios...

Judicialização da saúde: como usar a Justiça gratuita contra a SUS

A judicialização da saúde é um fenômeno que cresce a cada dia e esse aumento expressivo se deve a algumas situações.  É verdade que as...

Planejar aposentadoria fica ainda mais difícil na pandemia

Trabalhador deve conhecer sua vida contributiva e as regras da Previdência antes do pedido A pandemia de Covid-19, a crise econômica e a reforma da...