Notícias

Risco de trombose nas doenças autoimunes

Quando um coágulo de sangue bloqueia um vaso ocorre uma trombose, pode ser uma veia (trombose venosa) ou uma artéria (trombose arterial).

O risco de trombose está aumentado nas doenças autoimunes reumáticas sendo a principal delas a SAF (Síndrome do Anticorpo Anti fosfolípide), que pode vir isolada ou junto com outras doenças, principalmente o Lúpus Eritematoso Sistêmico.

Nessa condição, a trombose venosa de membros inferiores é a localização mais comum. Os sinais clínicos são dor, inchaço e vermelhidão na perna afetada. No caso de trombose do sistema arterial, a manifestação mais comum é de AVC: acidente vascular cerebral.

Na SAF muitas vezes a manifestação é obstétrica e podem existir complicações na gravidez (abortos repetitivos, pressão alta e prematuridade do bebê).

Mesmo sem ter a SAF, pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico por si só tem maior chance de tromboses e até 10% podem desenvolver algum episódio durante a vida. O risco também é aumentado em pacientes com Artrite Reumatoide, vasculites, entre outras doenças.

O estado inflamatório da doença em atividade é um importante fator de risco. Por isso, um acompanhamento adequado da doença é fundamental. Sempre que diagnosticado um episódio de trombose, o tratamento com anticoagulante se faz necessário e em alguns casos (como na SAF) esse tratamento pode ser por toda a vida. Diagnóstico e tratamento precoce salvam vidas!  Me deixe saber se você ficou com qualquer dúvida e escreva nos comentários. Abraços e boa semana

#REPOST @reumatologistasalvador

Artigos Relacionados

Novo procedimento cirúrgico é realizado na Santa Casa de Jales

Priscila Torres

Mesmo sem credibilidade, cloroquina segue escassa e manipular custa o triplo

Priscila Torres

Iniciativa incentiva pessoas com artrite reumatoide a testar seus conhecimentos sobre a doença no mês de conscientização da artrite

Priscila Torres