Responsabilidade e decisão compartilhada: Saiba mais sobre esses elementos importantes no tratamento da artrite reumatoide

A decisão compartilhada é o fato de o médico orientar e compartilhar com o paciente determinadas decisões terapêuticas.

Responsabilidade e decisão compartilhada: Saiba mais sobre esses elementos importantes no tratamento da artrite reumatoide

A artrite reumatoide tem a dor, o inchaço e a rigidez nas articulações como seus principais sintomas, resultado da inflamação da membrana sinovial. Por ser crônica e progressiva, a doença pode reduzir significativamente a qualidade de vida dos pacientes. Por outro lado, o conceito de decisão compartilhada tem representado um grande avanço no tratamento do problema, melhorando até mesmo a eficácia das medidas propostas.

“A decisão compartilhada é o fato de o médico orientar e compartilhar com o paciente determinadas decisões terapêuticas. Em todas as situações, o paciente tem que ser, antes de mais nada, orientado sobre o diagnóstico, as opções de tratamento, seus riscos e benefícios para que seja possível fazer uma discussão e tomar uma decisão de forma compartilhada”, afirma a reumatologista Licia Mota.

A decisão compartilhada é uma das bandeiras defendidas pelo Grupo EncontrAR, um movimento social que luta pelos direitos dos pacientes de acesso ao tratamento multidisciplinar da artrite reumatoide e avanços na qualidade de vida, com acesso ao trabalho e à vida social.

Tratamento da artrite reumatoide deve ser escolhido pelo paciente e seu médico

Segundo a médica, a decisão compartilhada faz parte de todos os protocolos mundiais de tratamento da artrite reumatoide. No entanto, a aplicação dessa ideia não significa que o paciente irá escolher qualquer tratamento. Na verdade, ele discutirá com o médico qual a opção de tratamento é do seu interesse, levando em consideração todas as abordagens disponíveis e tecnicamente adequadas.

Doutora Licia cita o exemplo de uma mulher jovem, portadora de artrite reumatoide e que pretende engravidar: “A decisão do tratamento deve ser compartilhada, levando em consideração que há o planejamento de uma gestação no futuro próximo, já que determinados medicamentos não poderão ser utilizados durante a gravidez e mesmo por um período de meses ou anos antes”. Sabendo desse desejo, médico e paciente discutirão outras opções terapêuticas para permitir que a mulher engravide com segurança.

Decisão compartilhada aumenta adesão ao tratamento

Quando o paciente é bem orientado, com uma comunicação simples e explicativa, entende sua condição e participa das decisões, a adesão às medidas escolhidas e sua eficácia aumentam consideravelmente. Além disso, a reumatologista explica que o paciente deve lembrar que o tratamento é contínuo e pode ser modificado com o passar do tempo, o que reforça a importância do portador de artrite reumatoide ser acompanhado de perto por seu médico.

Dra. Licia Mota é reumatologista, graduada em Medicina pela Universidade de Brasília (UnB), com residência médica em Clínica Médica e Reumatologia e doutorado em Ciências Médicas pela UnB. CRM-DF: 11149

Fonte: Cuidados pela Vida

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: