Procurei um reumatologista pelo fato de minha mãe ser portadora de fibromialgia

Meu nome é Tamiris, quando tinha 17 anos comecei a trabalhar com crianças e a desenvolver vários trabalhos manuais. A realização dessas atividades manuais na época me fizeram sentir dores nas mãos, principalmente no dedão e no dedo indicador. Procurei um reumatologista pelo fato de minha mãe ser portadora de fibromialgia. Foram feitos exames e o diagnóstico não apontou nada reumatológico e que poderia ser um começo de LER (lesão por esforço repetitivo).

Tomei os anti inflamatórios indicados e melhorei. Após um ano tive uma mudança de vida muito grande. Mudei de cidade, fui morar sozinha, estudar e voltei sentir dores como se fosse na “carne” e que andavam por todo meu corpo. Passei pelo cardiologista da família para fazer um check-up e comentei com ele sobre as dores que sentia. Fiz vários exames e meu PCR estava muito alterado em 46 e o ASLO em 1000. O cardiologista me passou 21 benzetacil. Durante 21 semanas todo sábado eu tomava uma injeção, no final do tratamento eu já não sentia mais as dores da injeção. Os exames normalizaram e a dor sumiu. Após 3 anos as dores voltaram, os exames alterados e novamente 8 benzetacil.

As dores vinham e passavam com um anti-inflamatório, mas o cansaço sempre estava presente. Após 10 anos da primeira vez que passei no reumatologista, voltaram as dores nas mãos e em 15 dias também sentia dores em meus pés. Sempre usei salto alto e o médico relacionou as dores a isso. Fiz novamente vários exames e todos estavam alterados. Meu clínico começou a me tratar, mas dessa vez já tinha mais noção das doenças pois trabalho na área da saúde. Após 3 meses nenhuma melhora e juntos eu é o clínico achamos melhor procurar novamente o reumatologista. O primeiro profissional que procurei me diagnosticou com febre reumática.

Sabia de alguma forma que não era isso que eu tinha. Fui a procura de outro reumatologista. Voltei na mesma profissional que havia ido há 10 anos atrás e após os exames a confirmação artrite reumatoide. Durante 9 meses fiz uso de metrotexato é a melhora foi mínima. Com 10 meses de tratamento fiz uso do meu primeiro biológico CINZIA (cetolizumabe) entrei em regressão e passei um ano sem dor. Após 12 meses de uso perdi o efeito, porém, sem sentir dores, somente os exames alterados. Entrei com meu segundo biológico ENBREL com baixo efeito. Voltei a ter crises de dores e os exames com resultados muito elevados.

Na próxima semana vou pegar a receita de troca e entrar no meu terceiro biológico e esperar uma boa resposta do meu organismo. Conversem muito com seu médico, e busquem respostas para todas as suas duvidas sobre a doença e também sobre o tratamento. A confiança no médico que irá te acompanhar é fundamental. Leiam muitos artigos sobre a doença, informação ajuda muito. Evite estresse psicológico pois piora muito a doença. Aceite e se trate.

A negação piora o tratamento. No dia em que aceitei a doença tudo se tornou mais fácil.

Meu nome é Tamiris, sou Nutricionista, moro em SP.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, basta preencher o formulário no link 👉http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤️

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Planejar aposentadoria fica ainda mais difícil na pandemia

Trabalhador deve conhecer sua vida contributiva e as regras da Previdência antes do pedido A pandemia de Covid-19, a crise econômica e a reforma da...

Procure conhecer tudo à respeito da sua doença e como você pode se ajudar! E acima de tudo, nunca desista!

No final de 2015, tive uma febre tão alta que me debatia na cama. Depois disso, não conseguia mais escovar dentes, pentear os cabelos,...

Live irá debater a falta de medicamentos nas Farmácias de Alto Custo

ReumaLive: Direitos dos Pacientes: Assistência Farmacêutica Em dezembro de 2020, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), emitiu um documento em que foi declarado...