Notícias

População denuncia falta de medicamentos na Cema

Os pacientes que procuram a Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) tem se deparado com falta de remédios. Sem alguns remédios de alto custo que deveriam ser fornecidos pelo Estado, pessoas que sofrem com doenças graves interromperam tratamentos.

Há relatos de estoque zerado na Cema dos medicamentos Leuprorrelina 3,75 e Azatioprina. Esse último custa cerca de R$ 2 mil uma caixa. Já o Leuprorrelina injetável uma ampola custa até R$ 300. Os remédios estão em falta há um mês.

De acordo com pai de uma paciente, que prefere não ser identificado, a filha tem problema hormonal e toma uma medicação injetável, a Leuprorrelina 3,75. Porém, a família depende que o governo do Amazonas forneça o medicamento para o tratamento.

“É muito cara e não temos condições. Ela já está com o tratamento atrasado por conta da falta deste medicamento. Já ando para lá todo santo dia, e nada. Já se vão 30 dias e nada do medicamento”, relatou o pai.

A pensionista Maria de Nazaré da Silva Lima, 50 anos, também teve tratamento interrompido pela falta do medicamento Azatioprina. Há mais de 10 anos ela usa o medicamento para tratar Lúpus. Nas últimas duas semanas Maria de Nazaré tem procurado a Cema, mas volta para casa sem o medicamento e sem previsão de quando receberá o remédio.

“Minha mãe tem Lúpus e precisa desse medicamento mensalmente. Esse remédio é o principal para tratar a doença e quando ela fica sem tomar fica imunidade mais baixa. Ela não tem condições de comprar por só uma caixa custa mais de 2 mil reais. Na última vez que fomos na Cema o sistema tinha caído e tinha várias pessoas aguardando. Tiveram que voltar para casa sem os medicamentos”, contou o filho de Maria de Nazaré.

Os pacientes que aguardam os medicamentos afirmam que não foram informados do motivo da falta dos remédios e previsão de normalização dos estoques.

A Secretaria de Saúde (Susam) informou que o medicamento Leuprorrelina já foi comprado pela Cema e que aguarda a entrega pelo fornecedor. “A Cema iniciou o processo de aquisição da Leuprorrelina ainda em dezembro, mas o único fornecedor cadastrado na ata de registro de preços estava com pendência documental, o que atrasou o processo de aquisição. Com relação à Azatioprina, a Cema informa que há estoque do medicamento”, afirma a Susam.

Descentralização 

Em 2019, a Susam descentralizou o Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf). O Ceaf é uma estratégia que garante acesso a medicamentos no SUS, entre eles os de alto custo. A dispensação de medicamentos diretamente aos usuários é feita pela Central de Medicamentos do Estado do Amazonas (Cema).

Foram implantadas três farmácias do Ceaf fora da Cema. Uma na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), outra na Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta (Fuam), e uma no município de Humaitá, no sul do Amazonas.

Para 2020, a Susam prevê implantação de mais cinco unidades do Ceaf em Manaus, nas seguintes unidades: Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimis) Ada Viana e Paulo Lima; e Policlínicas Codajás, Gilberto Mestrinho e Zeno Lanzini.

A Susam também iniciou tratativas para instalar farmácias do Ceaf em mais três municípios: Parintins, Coari e Tabatinga.

Fonte: Toda hora.

Related posts

Órgãos reguladores, médicos e pacientes dizem à OMS: um protocolo harmonizado de atribuição de nomes para medicamentos biológicos é importante para a segurança do paciente; por favor, aja agora

Priscila Torres

Estudante tira das aranhas substância contra dor crônica e depressão

Priscila Torres

Riscos e prejuízos do uso de analgésicos

Priscila Torres
Loading...