Coronavirus Notícias

Pernambuco: Farmácia do Estado registra aglomeração em fila extensa para retirada de medicamentos

A maior procura na farmácia é por medicamentos que tratam doenças pulmonares.

Pelo terceiro dia consecutivo, dezenas de pessoas se aglomeraram em imensas filas que se formaram desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (16) na Farmácia do Estado, na Rua da Soledade, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife. Os pacientes, a maioria idosos, foram ao local em busca de medicamentos essenciais para os seus tratamentos de saúde.

Apesar das medidas tomadas pela Farmácia de Pernambuco para evitar aglomeração em meio a pandemia do coronavírus, a população não seguiu as recomendações. A unidade metropolitana recebe quase mil pacientes por dia.

As filas estão sendo organizadas na área externa da Farmácia, ao ar livre, e só entram pacientes em grupos pequenos, no máximo dez pessoas A farmácia orientou que respeitassem o espaço seguro entre cada um, inclusive com a presença de marcadores no chão.

Mesmo com orientação da Farmácia para que idosos, principal grupo de risco para covid-19, evitassem ir ao local e substituíssem suas idas pela presença dos filhos, vizinhos ou amigos, muitos idosos continuam comparecendo ao local.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Dona Sebastiana, 82 anos e tem problemas pulmonares  FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM DATA: 16.04.2020

Jaciara Nascimento, que procurou a Hidroxicloroquina, medicamento utilizado no tratamento do Lúpus, reclamou das filas extensas e da falta do medicamento. “Estou preocupada por que já tenho comprometimento pulmonar e vou ter que ficar aqui na fila esperando. Vim buscar o azatioprina e quero ver se consigo Hidroxicloroquina. Eu tomava o remédio, mas parei por alguns meses e quero retomar o uso”, explicou.

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) explicou que o setor está realizando a entrega de insumos para o período de até dois meses, evitando deslocamento e exposição dos pacientes várias vezes para retirar os medicamentos.

A entrega desse quantitativo só é realizada de acordo com o tratamento e tipo da doença, além da forma segura para o armazenamento dos insumos por parte dos pacientes e de acordo com o estoque de cada medicamento para que todos os pacientes cadastrados possam ser beneficiados.

Com o avanço da pandemia do covid-19, vírus que ataca e causa danos principalmente ao pulmão, o remédio Indacaterol começou a ser mais procurado na Farmácia do Estado. Era ele o principal alvo dos que formavam fila no local.

“O Indacaterol é um broncodilatador usado no tratamento de pacientes doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) moderada a grave. A medicação alivia os sintomas da DPOC e ajuda a prevenir quadros mais graves da doença. É uma droga muito importante”, explicou o médico pneumologista Alfredo Leite.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Cristina, 59 anos, também sofre de problemas pulmonares e também reclama da falta dos remédios. FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM DATA: 16.04.2020

É a terceira vez que Cristina de Souza, 59 anos, foi ao local para retirar dois medicamentos para problemas pulmonares – spiriva e indacaterol – e se queixou de que o segundo sempre está em falta.

Cristina também reclamou que o contato da Ouvidoria de Saúde do Estado nunca está disponível quando ela precisa ligar. “Nós ligamos e ninguém atende. Muita gente aqui já ligou e não consegue falar. Aí acaba tendo que vir aqui para retirar o medicamento sem saber que está em falta”.

Sobre o Indacaterol, a SES explicou que há estoque do remédio na apresentações cápsula 300mcg, com nove meses de cobertura. A apresentação de 150mcg está em fase de compra pela SES-PE.

A SES orientou que caso o paciente não consiga ligar para a Ouvidoria da Saúde Estadual (0800.286.2828), ele pode recorrer ao número 136 do Ministério da Saúde e 162 da Ouvidoria Geral do Estado. As pessoas também podem encaminhar demandas pela página eletrônica http://ouvprod01.saude.gov.br/ouvidor/CadastroDemandaPortal.do

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
A fila extensa não respeitava medidas de afastamento e algumas pessoas não usavam máscaras – BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Nota da Secretaria de Saúde

Como medida preventiva, a gestão da Farmácia de Pernambuco vem tomando uma série de medidas para evitar aglomeração e contato entre as pessoas. As filas estão sendo organizadas na área externa da Farmácia, ao ar livre, e só entram pacientes em grupos pequenos, no máximo dez indivíduos. Na fila, está sendo orientado que respeitem o espaço seguro entre cada um, inclusive com a presença de marcadores no chão. A unidade metropolitana recebe quase mil pacientes por dia.

É importante salientar que esse é um trabalho de conscientização feito pela equipe da Farmácia e precisa contar com a colaboração de cada usuário. A Farmácia de Pernambuco salienta que segue funcionando em horário normal (7h às 16h), sem horário de almoço, de segunda a sexta-feira, portanto, os pacientes ou seus representantes não precisam se dirigir ao setor no momento da aberturas unidades, mas busquem horários variados, evitando assim as aglomerações.

Como medida para evitar o deslocamento de pacientes idosos, principal grupo de risco para Covid-19, a Farmácia orienta que esses busquem enviar um representante para fazer a retirada do insumo. Todos os idosos estão sendo orientados a substituir suas idas pela presença dos filhos, vizinhos ou amigos. É importante que saibam que podem eleger um representante para que não haja o deslocamento.

É necessário que este representante apresente, no momento da dispensação, o documento de declaração autorizadora devidamente preenchido pelo paciente, assim como cópia de documentos oficiais (identidade e CPF) para confirmação da identidade com o intuito de evitar fraudes. O documento está disponível para impressão no site da Farmácia de Pernambuco, no menu aba Arquivo – Declaração Autorizada (http://farmacia.saude.pe.gov.br). É importante acrescentar que os funcionários da Farmácia do Estado estão distribuindo cópias das declarações autorizadoras para os usuários que demonstram interesse nesta opção.

Sobre o fornecimento dos fármacos, o setor está realizando a entrega de insumos para o período de até dois meses, evitando assim o deslocamento e exposição dos pacientes. Vale destacar que a entrega desse quantitativo só é realizada de acordo com o tratamento e tipo da doença, além da forma segura para o armazenamento dos insumos por parte dos pacientes e de acordo com o estoque de cada medicamento para que todos os pacientes cadastrados possam ser beneficiados.

Fonte: Jornal do Commercio PE

Related posts

Três mitos sobre doenças reumáticas

Priscila Torres

5 dicas preciosas para evitar a Vasculite

Priscila Torres

Artrite reumatoide: qual é o impacto do tratamento com DMARDS na Pressão Arterial?

Priscila Torres
Loading...