Osteoporose: ameaça à saúde da mulher

A osteoporose é uma doença que causa diminuição de massa óssea, alterações na estrutura dos ossos e, consequentemente, aumento da fragilidade do osso, podendo causar fraturas. Essa doença acomete em maior proporção a população feminina, em decorrência, principalmente, das alterações hormonais vindas da menopausa, que ocorre em mulheres acima de 45 anos. Além da menopausa, existem outros fatores que podem favorecer o aparecimento da osteoporose, como a idade, a raça, o sexo, o histórico de quedas, o baixo nível de vitamina D, dieta pobre em cálcio, tabagismo e alcoolismo.
Sabe-se que o Brasil já tem mais mulheres do que homens na população. É o que mostra a revisão 2018 da projeção da população feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na década de 80, havia 753 mil mulheres a mais do que homens no Brasil; hoje, já são 4,5 milhões, e em 2060 serão 6,3 milhões. Elas passaram a viver mais, têm tido menos filhos, ocupam cada vez mais espaço no mercado de trabalho e, atualmente, são responsáveis pelo sustento de 37,3% das famílias brasileiras. Com o aumento da expectativa de vida desse público, ocorre também o aumento de doenças associadas, como por exemplo, a osteoporose.
A patologia é considerada uma doença “silenciosa”, pois geralmente é detectada em uma fase mais avançada, depois de uma fratura espontânea de um osso. Apresenta alterações em sua estrutura, a ponto de não suportar um trauma, causando dor no local lesionado. Segundo a Sociedade Americana de Menopausa, o principal objetivo clínico na condução da osteoporose é a redução do risco de fratura. Os locais mais acometidos são a coluna vertebral, as costelas, os punhos e o fêmur.
Como se diagnostica a osteoporose? O principal exame realizado para o diagnóstico da doença é a densitometria óssea, método não invasivo que possibilita medir a densidade mineral do osso na coluna lombar e fêmur para comparar com valores de referência já estabelecidos. Os valores são classificados entre normal, baixa massa óssea (osteopenia) e osteoporose.
Algumas recomendações são realizadas para a prevenção da doença, como a ingestão de cálcio e vitaminas, evitar bebidas alcoólicas e o tabagismo e a prática diária de atividades físicas, entre as quais podemos incluir exercícios aeróbicos, como caminhar e andar de bicicleta. Há também exercícios que promovem o fortalecimento muscular, como a musculação e o Pilates – método que utiliza exercícios dinâmicos para o fortalecimento e alongamento de vários grupos musculares, que também beneficiam uma melhor postura e o aprimoramento da consciência corporal. É importante ressaltar que os exercícios de Pilates devem ser realizados com supervisão de um profissional da saúde, podendo ser fisioterapeutas ou educadores físicos.

 

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Planejar aposentadoria fica ainda mais difícil na pandemia

Trabalhador deve conhecer sua vida contributiva e as regras da Previdência antes do pedido A pandemia de Covid-19, a crise econômica e a reforma da...

Procure conhecer tudo à respeito da sua doença e como você pode se ajudar! E acima de tudo, nunca desista!

No final de 2015, tive uma febre tão alta que me debatia na cama. Depois disso, não conseguia mais escovar dentes, pentear os cabelos,...

Live irá debater a falta de medicamentos nas Farmácias de Alto Custo

ReumaLive: Direitos dos Pacientes: Assistência Farmacêutica Em dezembro de 2020, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), emitiu um documento em que foi declarado...