Colunas da Pri Coronavirus Minha Vida com AR

O que precisamos saber sobre os testes para coronavírus?

Descobrimos o #covid, depois da internação da minha mãe no sábado à noite, imediatamente eu chamei meu plano de saúde no aplicativo do celular e fui atendida por um médico, meu pedido de PCR para covid foi emitido, recebi por sms e no domingo cedinho, eu estava no laboratório indicado e não consegui coletar. Tive que ir a um pronto socorro, passei em consulta e colhi o exame, meu resultado saiu nesta segunda-feira, positivo para COVID, eu estava com sintomas leves desde o domingo (21 de junho), porém, achava que era cansaço e dor de cabeça.

Todos nós sabemos que ao descobrirmos estar com coronavírus, devemos testar todas as pessoas sintomáticas ou não que tivemos contato, porém, desde o último sábado, descobrimos que fazer o teste do coronavírus mesmo sendo usuário do plano de saúde e até mesmo, se dispondo a pagar particular, aqui em São Paulo, no epicentro do covid no Brasil, não é tão simples assim, à partir do meu positivo, começamos a busca por testes para nossos filhos, sobrinhos, cunhados.

Existe muita publicidade de laboratórios, farmácias e hospitais, ligamos e checamos a informação antes de ir para fazer a coleta, todos afirmam fazer o teste do cotonete (PCR), mas quando chegamos pessoalmente, inventam uma desculpa e tentam te convencer a colher o teste rápido, que é este parecido com exame de gravidez e é pouco confiável.

Ao ligar em hospitais particulares, perguntamos se estão fazendo o teste PCR (teste do cotonete), todos os hospitais dizem que sim, e lá chegamos com pedido médico emitido por seu médico de confiança (meu reumatologista), e então descobrimos em 4 redes de hospitais grandes de SP, que para fazer o teste PCR é preciso passar em consulta com o médico do pronto socorro local e pasmen, existe hospital oferecendo KIT COVID; pague a consulta do PS já com o PCR incluso.

Conseguimos realizar o teste PCR em uma rede de hospital privado de São Paulo, pagando particular, o valor de R$ 225,00 por teste. Diminuir a circulação do vírus, deveria fazer parte da responsabilidade social de todos os serviços de saúde e somente hoje, nossos contactantes estiveram em 4 endereços, fazendo o teste apenas no 5º local.

Os valores dos testes são bem parecidos, mas a eficácia de cada um deles é bem diferente, consulte o seu médico, faça o PCR, lembra o teste do cotonete!

 

Confira o trecho da matéria: A diversidade dos exames para detectar novo Coronavírus no Brasil*

O médico Rafael Jácomo, Diretor Técnico do Grupo Sabin, explica que para detectar a presença do vírus, há três metodologias que podem ser aplicadas: o método PCR, onde é coletado material nasal para detecção do RNA (material genético do vírus); os testes sanguíneos para detecção de anticorpos e os testes em material nasal para detecção de antígenos do vírus. “A principal diferença entre eles está no momento de detecção. A princípio, o PCR pode diagnosticar precocemente a doença, porque já aponta a presença do vírus no início dos sintomas. Já os testes para detecção de anticorpos são os indicado para estágios mais avançados da doença, após 5 ou 6 dias e os de detecção de antígenos um pouco antes disso, mas pouso se sabe, efetivamente, sobre a efetividade destes dois últimos”, esclarece.

O tempo de demora para o resultado também varia de acordo com o exame. Segundo o especialista, o teste de PCR envolve procedimentos que podem levar algumas horas, dependendo do instrumento e do procedimento realizado. “Os outros dois podem ser realizados individualmente com resultados em poucos minutos, mas isso depende de toda uma estrutura laboratorial disponível. O que podemos afirmar é que o teste molecular, PCR, é considerado o mais preciso é o que a OMS indica como definidor para diagnóstico”, aponta. Há, ainda um grande risco sobre falsos negativos em resultados dos testes rápidos que detectam imunoglobulinas (IgG e IgM) e a interpretação que se pode ter deles. Para a estratégia de testagem e diagnóstico precoce eles não conseguem dar a resposta que precisamos.

* Fonte: https://medicinasa.com.br/sabin-teste-diagnostico/ 

Artigos Relacionados

Qual é a cara da AR?

Priscila Torres

2º Encontro de Blogueiros e Pacientes com Espondiloartrites, DII e Uveítes traz informação cuidados para participantes

Priscila Torres

Dor psicológica

Priscila Torres
Loading...