Espondilite Anquilosante Notícias Tratamentos

Novos dados de upadacitinib em espondilite anquilosante

A AbbVie, uma biofarmacêutica global de investigação, anunciou novos dados relativos ao estudo SELECT-AXIS 1, um ensaio de fase 2/3. Segundo estes dados, o dobro dos doentes adultos com espondilite anquilosante (EA) ativa tratados com upadacitinib (15 mg, toma diária única) alcançou o objetivo primário de resposta Assessment of SpondyloArthritis International Society (ASAS) 40 à semana 14, comparativamente com placebo (52% vs. 26%; p<0,001). SELECT-AXIS 1 é o primeiro ensaio que avalia a eficácia e segurança de upadacitinib em doentes adultos com EA ativa não tratados previamente com fármacos anti-reumáticos modificadores da doença biológicos (bDMARDs) ou que tiveram uma resposta inadequada ou que são intolerantes a anti-inflamatórios não esteroides (AINEs).

Os resultados do estudo foram apresentados no encontro anual de 2019 do American College of Rheumatology (ACR)/Association for Rheumatology Professionals (ARP), em Atlanta, tendo sido também publicados na The Lancet. Upadacitinib, um inibidor da JAK seletivo e reversível descoberto e desenvolvido pela AbbVie, está a ser estudado como terapêutica de toma diária única na EA e em diversas doenças imunomediadas.

“A espondilite anquilosante é uma doença inflamatória crônica e progressiva que provoca dor e rigidez, sobretudo na coluna, e começa a surgir no início da idade adulta”, afirmou a Prof. Doutora Désirée van der Heijde, do Leiden University Medical Center, nos Países Baixos.“Além dos fármacos biológicos, existem poucas opções disponíveis para os doentes que tiveram uma resposta inadequada a AINEs ou cuja terapêutica com estes fármacos é contraindicada. Os resultados deste estudo sustentam o potencial de upadacitinib como opção terapêutica adicional para os doentes que sofrem de espondilite anquilosante”, esclarece.

“Os resultados do estudo SELECT-AXIS 1 mostram que upadacitinib melhorou significativamente os sinais e sintomas em doentes com espondilite anquilosante”, refere o Dr. Marek Honczarenko, vice-presidente da área de desenvolvimento em Imunologia da AbbVie.

“Estes dados demonstram o empenho da AbbVie em descobrir e desenvolver terapêuticas adicionais para os doentes com doenças reumáticas”, conclui.

O perfil de segurança de upadacitinib foi consistente com o observado anteriormente em estudos com doentes com artrite reumatoide, sem detecção de novos sinais de segurança. Até à semana 14, as proporções de doentes com acontecimentos adversos que conduziram a descontinuação, acontecimentos adversos graves e infeções foram de 2%/1%/20% com upadacitinib e 3%/1%/28%com placebo, respetivamente. Não foram notificados casos de infeções graves, herpes zoster, neoplasias, acontecimentos adversos cardiovasculares major (adjudicados), acontecimentos tromboembólicos venosos ou óbitos.

Fonte: News Farma.

Related posts

Médica pesquisa relação de zika com problema nas articulações de bebês

Priscila Torres

Quatro em cada dez pessoas tem algum tipo de dor crônica, diz pesquisa

Priscila Torres

Sangramento menstrual excessivo é alerta para miomas

Priscila Torres
Loading...