Depoimentos

Ninguém nunca poderá saber oque você passa ou passou

Parece que quando conto a minha história é como se eu quisesse que o mundo soubesse a existência da vida paralela que eu vivo porém sem olhos de pena… É assim que me sinto.

Eu tive os primeiros sintomas severos aos 10 anos de idade, ainda choro lendo meu diário aonde eu relatava as dores que chegaram sem aviso, tive o diagnóstico de artrite reumatoide um ano depois e durante esse período sem tratamento adequado eu tive várias sequelas que carrego até hoje.

Depois disso eu sobrevivi a base de corticoides e anti-inflamatórios, cirurgia no quadril, etc. Não vou mentir, até hoje ainda sinto isso, mas parece que as minhas reclamações de dores são desnecessárias e chatas, sempre foi assim, hoje eu evito ao extremo de falar com qualquer pessoa a respeito de qualquer dor ou dificuldade minha, porém eu de verdade me orgulho das minhas conquistas, de quem me tornei e quem sou hoje.

Conheci meu esposo em 2004 e em 2015 tive uma crise severa que me deixou de cama, buscando alternativas para sair de mais uma fase ruim, conheci uma amiga que me mostrou como controlar a artrite com a alimentação e deu certo, me livrei dos inúmeros remédios.

E então veio o meu milagre minha filha, gravidez perfeita sem dores, porém após Alana nascer, as dores voltaram com tudo, moramos sozinhos no ceara e com a força divina que nunca me abandonou eu consegui amamentar minha filha até os 2 anos, parecia que ali era meu limite pois já tinha dias que eu andava de muletas, e os braços não levantavam para pentear meus cabelos, ou colocar uma roupa.

Depois disso iniciei o metotrexato e estava muito melhor, quero outro bebê, então novamente medicação interrompida e dores voltaram, olho pra traz e não tenho ideia de como eu consegui, mas eu consegui, cada dia pra mim é uma vitória num mundo paralelo no qual parece que só eu vivo.

Meu nome é Bia Monteiro, tenho 36 anos, convivo com o diagnóstico de artrite reumatoide a 26 anos, sou Analista de sistemas e moro em Eusébio-CE

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

#depoimento

Related posts

Convivendo com espondilite anquilosante e se hoje estou bem, agradeço a Deus e a minha reumatologista

Priscila Torres

Cada dia pra mim é uma nova batalha!

Priscila Torres

Nunca desista, força para não se entregar

Priscila Torres
Loading...