Não se acomode apenas com o primeiro diagnóstico, pergunte , questione e opine em seu tratamento.

Não se acomode apenas com o primeiro diagnóstico, pergunte , questione e opine em seu tratamento.

Meu nome é Dione, em 2016 iniciou uma crise no ombro direito, uma dor insuportável, porém o diagnóstico foi bursite. Tratei com anti-inflamatórios e fisioterapia, evolui com algumas limitações de movimentos, o qual não mereceram minha atenção e segui em frente.

Em outubro de 2018, as crises nas articulações foram aumentando, e passei a ter crises toda semana, diminuindo minha qualidade de vida. Realizei vários de RX sem alterações e houve a suspeita de AR com os resultado dos exames laboratoriais.

Fui encaminhada ao reumatologista que iniciou o tratamento em Novembro com Hidroxicloroquina 15 mg, as crises diminuíram, porém não cessaram, chagando ao ponto de afetar minha mobilidade, vindo junto o desanimo e a tristeza.

Fiquei em acompanhamento com o reumatologista e expliquei a minha insatisfação com a medicação que estava fazendo uso. O mesmo solicitou um exame, Anti-CCP (Autoanticorpos contra peptídeo citrulinado cíclico), o resulto foi 200 IU, confirmando o diagnóstico de AR.

Hoje faço uso de metotrexato 20 mg, ácido fólico 20 mg e hidroxicloroquina com boa resposta em meu organismo, 3 semanas sem dor! Não se acomode apenas com o primeiro diagnóstico, pergunte , questione e opine em seu tratamento.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: