Não desistam, lutem com toda a força do mundo, é assim que eu vencendo a espondilite anquilosante e fibromialgia

Não desistam, lutem com toda a força do mundo, é assim que eu vencendo a espondilite anquilosante e fibromialgia

Há 3 anos e meio, depois de uma gestação, comecei a sentir muitas dores nos pés ao levantar da cama, à época pensei que era devido ao sobrepeso, pois havia engordado durante a gravidez. Dia após dia, as dores nos tornozelos, joelhos, quadril, somente aumentavam.

Eram dores eram insuportáveis, chegava a me torcer de dores na cama, chorava de dores e não sabia o que eu tinha. Fui em vários médicos, porém ninguém descobria o que eu tinha. Fiquei pulando de galho em galho, até que após vários exames, uma reumatologista indicou uma luz no fim do túnel, finalmente descobri o nome dos causadores de tantas dores: recebi o diagnóstico de espondilite anquilosante.

Após receber as orientações, comecei então o tratamento que foi prescrito, porém não aceitei tomar medicamento biológico, durante muito tempo segui resistentes a aderir à este medicamento. Realizei o tratamento ortomolecular durante 4 meses, porém nada aconteceu, as dores continuavam a atormentar o meu dia a da.

Cada dia pior, as dores se potencializando, decidi voltar ao reumatologista, dessa vez, consultei uma segunda opinião, e o diagnóstico foi o mesmo, eu tinha espondilite anquilosante, só que dessa vez associada a fibromialgia. O médico foi bem realista, explicando todas as possibilidades de consequências de não aderir ao tratamento, prescreveu o medicamento biológico e dessa vez, eu aceitei, pois seria o melhor para o meu caso.

Iniciei o tratamento com biológico há 1 ano, sigo tratando também a fibromialgia. Apesar de ainda ter dores, me sinto bem melhor, as dores diminuíram bastante, as dores reduziram bastante, consigo dormir bem, a minha qualidade de vida melhorou, mas não como antes. Hoje tenho dores suportáveis, sigo vivendo entre
dias de crises, alguns difíceis e outros, mais tranquilos. Graças a Deus estou melhor, e não vou desistir, acredito que posso ser curada, mesmo sabendo que não tem cura, pois para Deus nada é impossível.

Sou a Marli, tenho 32 anos, moro em Curitiba/Paraná, convivo com espondilite anquilosante e fibromialgia há 3 anos e meio.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença! É super simples, basta preencher o formulário no link: https://goo.gl/UwaJQ4
Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: