Depoimentos Notícias

Não desistam até descobrirem, tenham muita força e vontade de lutar e não se entreguem

Meu nome é Rejane Bloemer , tenho 62 anos e desde pequena sentia muitas dores nas costas, as vezes nas pernas, nos braços era dor em vários lugares do corpo. Meus pais não se preocupavam, achavam que era mania, os anos foram passando e eu sempre com dor, tinha dias que era muito dolorido, comecei a trabalhar muito jovem, e com toda a dor que sentia nunca faltei ao trabalho ou no colégio.

Na minha 1ª gravidez aumentei muito de peso por alterações que surgiram que eu não tinha antes, entre elas: diabetes, albumina e outras coisas que nem lembro mais, então as dores intensificaram, e os médicos diziam que era coluna. Comecei um tratamento com medicações fortes como corticoides que só aumentavam o meu peso.

Passei muitos anos trabalhando com dor e febre, muitas vezes não conseguia me erguer sozinha, precisava de ajuda até para tomar banho, me vestir, comer e cada vez mais fui ficando travada. Comecei a perder a vontade de viver, pois sempre gostei de trabalhar e não conseguia mais e ninguém entendia dessa dor.

Foi então que graças a Deus eu conheci a Reumatologista Dra. Mara Pinho de Blumenau Santa Catarina, que fez de tudo para descobrir o meu problema e finalmente comecei o tratamento certo para Espondilite Anquilosante e Fibromialgia.

Usei varias medicações, Embrel, Humira e hoje uso Cozentix. Ainda tenho crises de dor e outros problemas que surgiram por causa da Espondilite, mas aprendi a conviver com elas e cada dia é uma vitória.

Não desistam até descobrirem, tenham muita força e vontade de lutar e não se entreguem a depressão!

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, basta preencher o formulário no link 👉http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤️

Related posts

Uma verdadeira batalha com seu próprio corpo

Priscila Torres

Estou na luta para acabar com este mal que não tem fim: artrite reumatoide soronegativa, oligoartrite, poliatrite, sacroileite, síndrome de reiter!

Priscila Torres

No Dia Mundial da Artrite uma mãe não pode brincar com seu filho e é surpreendida por um bilhete

Priscila Torres
Loading...