Não deixem o medo e as dores paralisarem e te impedirem de viver

Na época não tinha consciência, mais as dores começaram após ficar bastante estressada e sobrecarregada no meu antigo trabalho, passava por um momento ruim, de bastante estresse e não tinha consciência que as dores e inchaços estavam diretamente ligados a minha mente, eu me deixava afetar.

Acabei pedindo demissão e as dores e inchaços foram aumentando, ia todos os dias para emergência, tomava remédios paliativos e depois de dois dias voltavam novamente.

Os meus joelhos, tornozelos e punhos inchavam demais, passei por um ortopedista e fiz uma serie de exames que não deram muita coisa, até que um segundo ortopedista me indicou um reumatologista. Ele só de olhar meus joelhos ele logo disse: ” você está com problema reumático, precisa ir ao reumatologista.”

Então, comecei a procurar um profissional, passei por dois que não me deram muita informação e não me senti acolhida até que na terceira tentativa encontrei um anjo que me deu todas as orientações e que me acompanha até hoje.

Comecei a usar corticoide, metrotexato e vitamina D. As inflamações continuavam, fui engordando, inchando de uma forma que além de todos problemas eu não gostava de me olhar no espelho. Temos que ter muita paciência e sabedoria para lidar com o tratamento e as consequências, adquirir pressão alta, passei a usar dois remédios para controlar a pressão e o uso contínuo dos remédios para tratamento.

Até que obtive uma melhora e a minha medica iniciou o tratamento com o biológico, o primeiro que utilizei foi o Golimumabe ( Simponi) atrelado ao Arava e o MTX e corticoide, não obtive melhora, depois de 6 meses a médica mudou para o Tocilizumabe (Actemra) a melhora veio aos poucos e então conseguimos tirar o corticoide e mtx.

Em paralelo comecei a fazer hidroginástica, e a academia aos poucos melhorou a minha qualidade de vida foi se estabilizando, durante o tratamento fiquei afastada pelo INSS, mas faz algum tempo que retornei ao mercado de trabalho. Faço academia, aulas de dança, minha paixão que me ajuda a controlar as calorias na dança, não abro mão.

Consegui perder 16 kg e vou equilibrando minha vida. Sabendo que devemos ser gratos a tudo que nos acontece, acredito que nada acontece por acaso e ter A.R estava predestinado em minha vida. Nesse período de início de tratamento tinha um namorado que também não me acrescentava muito, acabei rompendo e hoje tenho como amigo.

Então mais uma vez digo que devemos acreditar e persistir , ter fé que iremos entrar em remissão e viver uma vida de forma mais leve possível. Agradeço a esse grupo na pessoa de Priscila Torres, por ter sido meu apoio, quando descobri a doença. Nem sabia nada a respeito e o blog Artrite Reumatoide foi a primeira página que pesquisei e lembro bem que passei horas e horas lendo.

Gratidão,gratidão e gratidão!

Meu nome é Daiana.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: