Os exercícios de musculação feitos com pouco peso (carga baixa) e associados à restrição parcial da circulação sanguínea produzem fortalecimento muscular e estabilização das articulações das pernas de modo semelhante aos treinos com carga elevada.

Como resultado, reduzem as dores e o incômodo da artrite reumatoide, um tipo de inflamação crônica e incurável que acomete as articulações.

A doença provoca dores, deformidades e diminuição da força muscular, sobretudo em mulheres com mais de 50 anos de idade. É o que revela pesquisa realizada no Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia (LACRE) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (FM) da USP, em parceria com o Instituto de Radiologia da FM e com a Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP.

O responsável pelo estudo, Reynaldo Rodrigues, fisioterapeuta e doutor em Ciências Médicas pela FM, afirmou que a artrite reumatoide é a doença inflamatória autoimune mais comum entre a população adulta.

“O tratamento medicamentoso da doença evoluiu muito nos últimos anos”, comenta Rodrigues, e avança: “Mas há estudos recentes que demonstram que essa medicação não consegue reverter o quadro de atrofia muscular”.

Por conta disso, o Colégio Americano de Reumatologia, assim como a Liga Europeia de Reumatologia, recomenda uma abordagem multidisciplinar para esses pacientes, envolvendo exercícios aeróbicos, caminhadas e, também, exercícios de força muscular.

Fonte: On Jornal

2 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia.

    Quero tirar uma dúvida, a partir do mês de outubro o SUS vai começar a entregar o Etanercepte biossimilar, a dúvuda é, o biossililar tem o mesmo efeito do anterior.

    grato

    • Oi Carlos, todos os medicamentos disponibilizados pelo SUS possuem eficácia. Antes de qualquer tomada de decisão é sempre importante você conversar com seu reumatologista. Abraços.

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.