Doenças Reumáticas Fibromialgia Notícias

Fibromialgia: o que você precisa saber sobre a doença

A fibromialgia é uma síndrome conhecida por causar dores no corpo inteiro, especialmente nas articulações, durante longos períodos.

Além das dores, a fibromialgia está ligada a diversas outras manifestações patológicas ou distúrbios. Fadiga excessiva, distúrbios do sono, estresse, depressão e ansiedade são exemplos de complicações associadas à fibromialgia.

Neste artigo vamos te explicar com mais detalhes o que você precisa saber sobre essa síndrome misteriosa e como tratá-la.

O que é Fibromialgia?

Antes de responder essa pergunta de uma maneira mais completa, é importante ressaltar que a fibromialgia é uma síndrome, ou seja, é um conjunto de sintomas específicos de uma doença que não apresenta uma causa definida.

Partindo desse princípio, assista o vídeo abaixo no qual o Dr. Renato Barra explica de maneira objetiva o que é a fibromialgia.

Resumindo: a síndrome é caracterizada por causar dores no corpo inteiro e estar relacionada à fadiga, alterações do sono, e doenças psicossomáticas. ⇒

Apesar da síndrome poder se manifestar em qualquer pessoa, por motivos ainda desconhecidos, a fibromialgia atinge muito mais as mulheres do que os homens. De acordo com o National Institute of Arthritis and Musculoskeletal and Skin Diseases, cerca de 80% a 90% dos casos identificados são de mulheres.

Causas

Por ser uma síndrome, os médicos e cientistas ainda não sabem com precisão as causas da fibromialgia. O que já foi descoberto é que ela está relacionada ao mau funcionamento do sistema nervoso central e seus mecanismos de supressão de dor.

Existem também fatores de risco identificados. Em geral, pessoas com fibromialgia apresentam ao menos um dos indicadores:

  • Fator genético: a síndrome pode ser recorrente em pessoas da mesma família, o que denota que mutações genéticas passadas entre gerações podem ser a principal causa da síndrome;
  • Infecções por vírus: é possível que a fibromialgia se desenvolva após uma contaminação por vírus por causa do desenvolvimento de doenças autoimunes;
  • Transtornos mentais e derivados: estresse, ansiedade, depressão e insônia são gatilhos que podem desencadear a síndrome de fibromialgia;
  • Trauma físico ou emocional: podem servir de gatilho para distúrbios como estresse pós-traumático (PTSD) e acabarem desencadeando uma síndrome de fibromialgia.

Sintomas

Os sintomas da síndrome podem ser resumidos em dores constantes e difusas por todo o corpo por pelo menos 3 meses. Normalmente a pessoa não consegue identificar ao certo quando e onde a dor começou. Frequentemente os pacientes com fibromialgia reclamam de dores “nos ossos”, “na carne” e ao redor das articulações.

É comum que as pessoas com fibromialgia se tornem muito sensíveis ao toque, especialmente durante os períodos de dores. Nesses casos, podem evitar qualquer tipo de contato físico como abraços e até mesmo apertos de mão.

É importante pontuar que, apesar dos sintomas de dores intensas sentidas pelo paciente, externamente não é possível verificar qualquer tipo de alteração, inchaço ou lesão nas áreas de dor.

Acompanhado das dores, é fácil identificar alterações no sono dos pacientes com fibromialgia. A dificuldade em atingir um sono profundo acarreta outras complicações como fadiga excessiva e até mesmo depressão (presente em muitos pacientes com fibromialgia).

Vejo o vídeo abaixo para conhecer 7 sintomas mais comuns da fibromialgia.

Qual médico procurar e diagnóstico

O diagnóstico é clínico, feito por um médico reumatologista ao avaliar o histórico de dores, familiar e fatores de risco.

Não existe um exame específico para identificar a fibromialgia, no entanto o médico responsável deverá solicitar exames de sangue para descartar outras possibilidades com sintomas parecidos.

Confira mais sobre como funciona o diagnóstico da fibromialgia no vídeo abaixo.

Tratamento

A fibromialgia não tem cura, porém, existem várias abordagens médicas para tratar a síndrome de maneira a diminuir os sintomas e possibilitar uma vida melhor para os pacientes.

Os tratamentos mais comuns envolvem remédios prescritos para aumentar a quantidade de neurotransmissores que diminuem a dor, remédios para dormir, prática de exercícios físicos e até mesmo terapia para aprender a lidar com a dor no dia a dia.

Espero que esse artigo tenha ajudado a entender melhor a síndrome de fibromialgia. Se você sente qualquer um dos sintomas citados, procure um médico imediatamente para obter um diagnóstico e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Fonte: IMEB.

Artigos Relacionados

Saiba quais são os exercícios mais indicados para amenizar a artrite e artrose

Priscila Torres

Hospital de Mogi sedia evento internacional sobre artrose

Priscila Torres

Possibilidade de surtos de doenças transmitidas por mosquitos aumenta no Verão

Priscila Torres