Eu faço atividade física e trabalho normalmente, mas com dor

Minha luta começou com uma dor no punho quando estava iniciando a faculdade com 20 anos. Fui colocar a mochila e senti um estalinho como se tivesse dado um mal jeito. Fiquei com o incômodo da dor e um inchaço pequeno, mas não dei importância, passei pomadas anti-inflamatórias e acabou passando. Quase 1 ano depois, começaram as dores na lombar que eram bem mais intensas, mas eu achava que era porque ficava muito tempo sentada na faculdade pela manhã e trabalhando no escritório a tarde.

Fui em um ortopedista que recomendou algumas aulas de hidroginástica e fisioterapia e vários anti-inflamatórios comuns. Após 6 meses a dor novamente sumiu. Quando meu irmão tinha 6 anos, ele brincando comigo trombou no meu pé e 2º dedo parecia estar quebrado, senti uma dor terrível, ele inchou muito e chegou a ficar roxo.

Fui ao ortopedista para tirar um RX, meu pé que latejava muito. Nesse processo fiquei quase 01 ano, indo e voltando de médicos, usei bota robocop durante 1 mês, mas nada resolvia. Até que fui indicada a um reumatologista, fiz muitos exames, inclusive uma ressonância magnética e o fator reumatoide deu negativo, mas a inflamação era imensa. Logo, iniciei o tratamento com Deflazacorte e Flotac.

Nessa época eu pesava 58kg com 1,62 de altura. Acabei engordando quase 12 quilos, mas a dor diminuiu consideravelmente, embora o diagnóstico não fechasse. Fui indicada a ir em outro reumatologista, onde levei a ressonância e refiz os exames. Ele encontrou o anti-corpos HLA-B27 positivo. Depois disso, o osso do pé também inchou, dedos das mãos, o pescoço, o ombro, o quadril. Enfim, foi uma sucessão de dores que iam e apareciam em outro lugar do corpo.

Eu praticava esporte a cavalo e um dia caí com o cóccix no chão, pronto, foi inflamar ali também. Precisei parar por medo de bater e ficar novamente com dor em um osso maior, porque seria meu fim. Havia ficado mais de 01 ano em remissão e a doença voltou a atacar, atingindo a nuca, mãos e punhos. Fazem 04 meses que voltaram as dores, os inchaços, o latejo dos dedos e punhos e a mão super quente parecendo que vai explodir, arrebentando tudo por dentro de tanto líquido que junta.

Agendei nova consulta e refiz todos meus exames e acredito que vou ter que começar a usar o MTX, pois o corticoide não está fazendo efeito para dor. Estou inchando muito, devido a retenção e a fome que o remédio provoca, estou com quase 80 kg. Não sei o que é passar um dia sem sentir dor e minha sensibilidade a dor,  já mudou muito também.

Não vejo a hora de voltar a remissão ou de encontrarem a cura. O que me conforta nos momentos em que choro e me desespero, é que minha família e meu marido são muito bons comigo. Eu faço atividade física e trabalho normalmente, mas com dor. Sem medicamento não consigo erguer nem um copo, nem fechar um zíper.

Meu nome é Juliana Siqueira, sou Administradora e moro em Curitiba.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!❤

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: