Notícias

Entenda as diferenças entre intolerância e alergia alimentar

Ser obrigado a maneirar em um alimento ou cortá-lo de vez do cardápio vem se tornando uma realidade para cada vez mais gente. A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) revelou, em 2018, que aproximadamente 20% da população apresenta intolerância a algum ou alguns alimentos. Para conseguir combater isso é muito importante entender qual a diferença entre alergia e intolerância alimentar.

A alergia alimentar é caracterizada por uma reação adversa à determinada substância presente nos alimentos, medida por imunoglobulinas IgE. Ao ingerir um determinado alimento, a pessoa irá desenvolver sintomas imediatos, que podem surgir na pele, no sistema gastrointestinal e/ou respiratório.

Já a intolerância alimentar é caracterizada por uma resposta imune permeável, que pode ser causada pela dieta hiperácida relacionada à flora intestinal, medicação, infecções, estresse e outros fatores. Os sintomas podem ser os mais diversos como problemas gastrointestinais, dermatites, dores articulares, enxaqueca, entre outros e, podem surgir depois de alguns dias após a ingestão do alimento.

No caso das reações alérgicas, elas podem ser leves ou até mesmo graves, podendo comprometer vários órgãos. Neste caso, é necessário que a pessoa pare de ingerir o alimento de forma definitiva. Apesar de terem os sintomas mais graves, as alergias são mais fáceis de serem identificadas, pois como os sintomas da intolerância demoram a aparecer, é difícil a identificação dos alimentos causadores da hipersensibilidade.

Diagnóstico

Os diagnósticos assertivos da alergia e da intolerância são muito importantes, pois revela quais são os alimentos indicados ao seu organismo e os que você deve se manter longe. A Euroimmun Brasil, empresa de origem alemã líder mundial em soluções para diagnósticos laboratoriais, possui os testes tanto para a intolerância, quanto para a alergia. Ambos são realizados por Imunoblot (membranas de nitrocelulose sensibilizadas com os antígenos).

O teste de intolerância alimentar – batizado de Euroline Food – é disponibilizado no mercado em duas versões de kits, um com o diagnóstico de até 108 alimentos e outro de até 216 alimentos e o resultado pode ser liberado em até 4 horas.

Por meio dele, é possível diagnosticar a intolerância de indivíduos a alimentos ingeridos no dia a dia, como cevada, glúten, carne bovina, arroz, frango, leite de vaca, gema de ovo, batata, cebola, feijão, maçã, banana, morango, melancia, avelã, camarão, bacalhau, entre outros.

“Estes alimentos podem levar a problemas de saúde inespecíficos, como disfunções gastrointestinais, doenças inflamatórias da pele, enxaqueca, síndrome da fadiga crônica, além de retardar o emagrecimento, que afetam a qualidade de vida das pessoas.

O diagnóstico assertivo com acompanhamento profissional é um importante aliado no tratamento para que as pessoas possam retomar a sensação de bem-estar”, afirma Gustavo Janaudis.

Além disso, os testes de alergia conseguem identificar, também, quais alimentos podem causar reatividade cruzada, ou seja, os alimentos que possuem carboidratos também podem causar alergias. “

A determinação de anticorpos específicos fornece informações adicionais aos médicos, particularmente com resultados positivos de anticorpos IgE que não se encaixam com os sintomas clínicos. É uma funcionalidade importante para auxiliar o profissional na interpretação para direcionar o tratamento mais assertivo possível”, comenta Janaudis.

Tanto o teste para diagnóstico de intolerância/hipersensibilidade alimentar quanto o de alergia podem ser realizados em clínicas e laboratórios especializados e podem ser realizados de forma manual ou automatizada. Todas as especialidades médicas podem solicitar o exame, incluindo nutrólogos e médicos ortomoleculares.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Related posts

Aviso aos pacientes sobre as Farmácias de Alto Custo do Estado de São Paulo

Priscila Torres

O servidor público estadual – SP, poderá ser readaptado!

Priscila Torres

Sofre de LER ou de DORT? Assédio moral também favorece esses distúrbios

Priscila Torres
Loading...