Eu mal sabia pronunciar o nome direito: Fibromialgia.

Que desespero eu sentia, por não saber o que eu tinha. Fiquei super assustada pois até então, eu não conhecia essa doença.

Como descobri a FIBROMIALGIA ?

 

Em Junho de 2018 comecei a sentir muitas dores na lombar e nas pernas, ficando impossibilitada de andar, tomei vários medicamentos para dor mas nenhum aliviava minhas dores. Passei vários dias internada fazendo todos os exames, fiz ressonância magnética, tomografia e nada apresentava nos exames, nenhum resultado para explicar aquelas crises absurdas de dores a ponto de andar somente com algum auxilio. Os médicos começaram a me examinar e achar que poderia ser uma endometriose devido as dores lombar que eu sentia.

.

Fiz um ultra-som que apresentou ADERÊNCIA NA PELVE, mas os médicos me informaram que isso poderia não justificar as dores que eu sentia. Eu escolhi ser operada acreditando que após aquela operação as dores passariam. Fui operada e após 9 dias de internação e uma cirurgia que demorou entre 4 a 5 horas. Sai da operação e quando o efeito da anestesia passou não sentia mais aquela dor nas pernas e na lombar, só sentia a dor na operação que havia acabado de realizar.

.

Depois de dias, fiquei 01 mês me recuperando da operação e quando já havia me recuperado voltei a minha vida normal. No mês de Outubro em um domingo comecei a sentir novamente as crises de dor na lombar e nas pernas, fiquei apavorada pois tudo aquilo tinha voltado novamente, fui parar na emergência.

.

E mais uma vez fui medicada, mas nenhum médico sabia sobre o meu diagnóstico. Como as dores eram insuportáveis e não passava, os médicos decidiram me internar. Passei novamente por todos aqueles exames sem sucesso, pois nada de alterações eram apresentadas nos exames. Fiquei mais uns dias internada tomando medicações intravenosas fortíssimas para amenizar as dores, já que nada passava. Depois de vários dias internada tive uma melhora e dai os médicos me deram alta. Passei 01 semana em casa e depois comecei a sentir as crises de dor novamente, e mais uma vez fui para a emergência e fiquei internada. Que desespero eu sentia, por não saber o que eu tinha.

.

Pensando nas piores coisas que poderia ser, fui atendida pela Dra. Laura que trouxe uma neurologista a Dra. Franciele juntamente com o Dr. Ricardo Reumatologista, eles fizeram os exames e fiquei aguardando o resultado. Então, veio o diagnóstico. E mal sabia pronunciar o nome direito: Fibromialgia. Fiquei super assustada pois até então, eu não conhecia essa doença. Fiz algumas perguntas para a Dr.Laura que estava me acompanhando.

.

– O que é isso ? Tem cura ? O silêncio da Dr.Laura me preocupou por um momento, então veio a tona e ela me respondeu: A Fibromialgia é uma doença que esta sendo estudada, não tem cura somente tratamento, e o tratamento é a base de medicamentos, acompanhamento com o reumatologista, psicólogo, psiquiatra, fisioterapeuta e nutricionista.

.

Você vai ter que mudar seus hábitos para poder conseguir conviver com a doença sem muitas dores e tentar ter ao menos uma vida meio normal. Eu fiquei muito preocupada, não acreditava, logo eu ter essa doença ?! Fiquei me perguntando! No começo não foi nada fácil vivia internada, não dava tempo nem de fazer o tratamento e logo vinham as dores no corpo, enxaqueca, mãos e pés inchados, tontura entre outros sintomas. Precisei internar 6 vezes seguidas por causa das crises de dor, sendo as últimas duas cheguei até desmaiar de tanta dor.

.

Hoje em dia estou em tratamento desde o dia 3 de Janeiro de 2019 e estou muito melhor pois estou aprendendo cada dia a conviver com a doença. Não desisto nunca, pois sou guerreira e sei que algum dia vou ser curada por Deus. Minha vida é uma luta diária.

.

 Meu nome é Rayanne Ribeiro –  Moro em São Luiz/ Maranhão.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, basta preencher o formulário no link 👉http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤️

 

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: