Conferências e Conselhos de Saúde

A Constituição Federal de 1988, ao criar o Sistema Único de Saúde, estabeleceu que a comunidade tem o dever e a responsabilidade de participar da sua gestão e controle.

Mas como, na prática, ocorre a participação da comunidade na proposição e no controle de políticas públicas de saúde?

Coube a Lei nº 8.142, de 28/12/1990, dispor sobre isso, determinando que cada esfera de governo:

(a) Realize, a cada quatro anos, Conferências de Saúde, fórum de debate com a representação dos vários segmentos sociais, para avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde nos níveis correspondentes;

(b) Conte com um Conselho de Saúde, em caráter permanente e deliberativo, órgão colegiado composto por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários, para atuar na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros, cujas decisões serão homologadas pelo chefe do poder legalmente constituído em cada esfera do governo. A representação dos usuários nos Conselhos de Saúde e Conferências será paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos.

Tanto as reuniões dos Conselhos como das Conferências de Saúde são abertas ao público.

Os conselhos recebem denúncias e sugestões sobre questões relacionadas aos serviços, ações e políticas de saúde, procurando sanear e aprimorar eventuais problemas, tendo sempre como foco a coletividade, e não a resolução de casos individuais.

Para contatar os Conselhos, basta enviar-lhes uma carta, e-mail ou comparecer pessoalmente na sua sede.

Busque conhecer na sua cidade as ações do Conselho Municipal e Estadual de Saúde, procure participar das plenárias de saúde como ouvinte, assim como das Conferências Municipais, Estaduais e Nacional de Saúde.

Texto doado pelo Dr. Tiago Farina Matos, autor do Manual de Direitos do Paciente Reumático, advogado especialista em direitos da saúde. Contato: www.tiagofarinamatos.com.br/

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Único tratamento biológico para adultos com Nefrite Lúpica ativa é aprovado pela ANVISA

Estudo clínico (BLISS-LN), que incluiu pacientes brasileiros, demonstrou que indivíduos tratados com Benlysta®, da farmacêutica GSK, tiveram 74% mais chances de alcançar a resposta...

Que tenhamos sempre Paciência e Fé em Deus!

Aos 24 anos, fui diagnosticada com psoríase, além das lesões, no corpo, que me deixavam deprimida pelo aspecto de feridas, que não cicatrizam, todas...

Pare de testar sua doença

Eu aposto que você já quis parar o remédio só para ver se não precisava mais dele. E se você fez isso, aposto que se...