Aprender a conviver com a dor não é fácil mas é possível viver melhor.

Procuro estar sempre atenta com os meus exames e aos medicamentos. Temos que viver um dia cada vez.

Certo dia acordei tantas dores que mal conseguia levantar da cama e por o pé no chão. Como já sofro de disco hérnia, achei que pudesse ser a coluna, mas não era. Foi então, que comecei a ir aos médicos. Procurei primeiro ortopedistas e sem diagnóstico. Eles sempre falavam que era coluna.

Depois que ganhei a minha filha que hoje vai fazer 7 anos, meu cabelo começou cair muito e me encaminharam para avaliação de um endocrinologista.  Fiz uma bateria de exames e por fim descobri que tinha hipotireoidismo. Comecei fazer o tratamento. As minhas dores só pioraram e decidi procurar um reumatologista.

Fiz uma bateria de exames, e por fim diagnosticaram síndrome de Sogren nem sabia o que era essa doença. Descobri que era uma doença hereditária porque parte da minha família todos tem. Comecei o tratamento, mas devido as muitas dores da fibromialgia que também tenho. Preciso lutar com essas dores direto, se fico sem o medicamento tenho uma piora das dores. É uma luta todos os dias! Acredito que devido a esse problema fui mandada embora do meu serviço, porque não aguentava trabalhar.

Agora faço acupuntura, hidroginástica e uso medicamentos para aguentar as dores. Fazer isso, tem me ajudado e a luta de todos os dias me faz não se entregar. Não quero que a depressão me pegue, isso eu não quero. Precisamos ser fortes e  sei que não é fácil.

A pouco mais dois anos perdi meu irmão para o lúpus e isso me deixou muito triste, porque ele demorou a diagnosticar  e quando descobriram já tinha atingido os rins. Ele chegou a fazer hemodiálise, mas infelizmente o lúpus atingiu o seu corpo.

Procuro estar sempre atenta com os meus exames e aos medicamentos. Temos que viver um dia cada vez. Fazer atividades diárias de acordo com as suas limitações, pois as dores após uma faxina são horríveis! Não precisa esfregar a roupa mandem para sogra (Risos).

Se precisarem de ajuda peçam, eu peço ajuda para abrir a tampa da garrafa. Aprender a conviver com a dor não é fácil mas é possível viver melhor.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, basta preencher o formulário no link 👉http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤️

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: