5 passos para conquistar uma vaga de emprego ou estudo na Lei de Cotas

A Lei Brasileira de Inclusão define a mobilidade reduzida como deficiência, configurando uma oportunidade de acesso a lei de cotas para as pessoas que convivem com algum tipo de doença reumática.

A Lei Brasileira de Inclusão define a mobilidade reduzida como deficiência, configurando uma oportunidade de acesso a lei de cotas para as pessoas que convivem com algum tipo de doença reumática.

Doenças como artrite reumatóide, espondilite anquilosante, lúpus e outras, podem ser incluídas na lei de cotas por meio do critério “pessoa com mobilidade reduzida”, sendo considerado uma pessoa com deficiência por redução da mobilidade. Não é critério ter uma deficiência visível ou deformidades.

O médico reumatologista precisa estar de acordo, para fornecer um relatório médico completo e detalhado, explicando que a doença de base (seu diagnóstico), lhe causou limitações físicas, se houver algum comprometimento extra, como por exemplo: artrose de joelhos, sacroileíte nos quadris, etc.

O médico deve relatar o diagnóstico principal e todos os diagnósticos secundários. O relatório médico deve ser emitido pelo reumatologista que é o especialista na doença e deve conter o CID (código principal da doença) e o CIF (código internacional de funcionalidade).

A relação entre o código de sua doença deve ser justificado com o CIF, onde o médico irá declarar a sua diminuição de funcionalidade, configurando de forma documental a “mobilidade reduzida”.

 

Confira o passo a passo para conquistar uma vaga na lei de cotas:

1º.  Conversar com o seu reumatologista, para que ele entenda a sua necessidade e direito à lei de cotas. O reumatologista  precisa estar de acordo, pois será necessário um relatório médico detalhado.

2º. Laudo médico fornecido pelo seu reumatologista, constando a relação de sua doença (CID x CIF) ou seja, código internacional da doença x código de funcionalidade, isso declara que você tem uma doença que te faz ter limitações de mobilidade e que tem direito a ocupar uma vaga pela lei de cotas.

3º.  Exames que comprovem a deficiência por mobilidade reduzida (laudos de exame de imagem).

4º.  São válidos como documentos comprobatórios do direito a lei de cotas:

  • O laudo fornecido para acesso ao transporte gratuito.
  • O laudo fornecido para carteira nacional de habilitação especial
  • O laudo fornecido para compra de veículos zero km com isenção tarifária.
  • O certificado de pessoa reabilitada pelo INSS  – certificado de reabilitação profissional.

5º. Toda análise do direito a lei de cotas é realizada pelo órgão/empresa que está concedendo a cotas, por meio do departamento médico pericial estabelecido pelo edital da vaga. Essa análise de reconhecimento de direito é pautada nos documentos médicos apresentados.

Fundamentos Jurídicos podem ser consultados:

Blog Artrite Reumatoide por meio dos links:

(http://artritereumatoide.blog.br/concurso-publico-e-o-portador-de-necessidades-especiais/)

(http://artritereumatoide.blog.br/cotas-de-emprego-em-empresas-privadas/)

(http://artritereumatoide.blog.br/concurso-publico/)

Seu médico pode ainda te encaminhar para a reabilitação profissional do INSS:

(http://artritereumatoide.blog.br/vagas-de-empregos-para-reabilitados-inss/)

Depoimentos:

(http://artritereumatoide.blog.br/15092/)

Leia os comentários deste post e vai entender como foi para os pacientes que já conquistaram este direito:

(http://artritereumatoide.blog.br/nossos-direitos/)

NÃO desista dos seus DIREITOS!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: