if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

Paciente crônico e relacionamento afetivo

Paciente crônico e relacionamento afetivoViver com uma doença crônica é complicado – especialmente quando você junta a vida afetiva nessa “relação a três”. Iniciar ou manter um relacionamento amoroso nem sempre é fácil, mesmo para quem é saudável.

Paciente crônico e relacionamento afetivo

Quando passei a conviver com uma dor crônica, nos últimos anos nenhum relacionamento que durasse mais de um mês, no máximo dois nenhum resistiu a minha dor física. Um dos maiores problemas para manter esses relacionamentos foi decidir como falar sobre a minha condição médica com uma nova (ou potencial) parceira.

Namorando: qual o melhor momento para falar sobre sua condição?

Você acabou de conhecer alguém e estão “ficando”. Você não disse a essa (o) parceiro(a) sobre sua condição.

Você realmente gosta dela(e) e tem potencial para um relacionamento? O que fazer?

Pode ser arriscado e assustador se abrir e contar a alguém sobre seus problemas de saúde, especialmente alguém que você teria um relacionamento íntimo. Mas em algum ponto, torna-se inevitável.

Então, aqui estão algumas idéias para tornar essa conversa um pouco mais fácil, quando você sente que é hora:

Você realmente gosta dela(e)

Descubra se você realmente gosta dessa pessoa que você está namorando antes de começar a compartilhar informações sobre sua saúde. Se você não está interessado em manter relacionamento, você realmente não precisa compartilhar esses detalhes da sua dor ou condição. Sua saúde é algo seu e de mais ninguém, especialmente alguém que acabamos de conhecer.

alt="Paciente crônico e relacionamento afetivo"
Paciente crônico e relacionamento afetivo

OK então vamos lá 

Você descobriu que gosta desse alguém o suficiente e que você gostaria de manter um relacionamento, essa é a hora de começar a falar mais sobre sua saúde. O melhor é seguir sua intuição. Compartilhe quando você se sentir bem e confortável com essa pessoa.

Conte pessoalmente

Fale pessoalmente – não conte por e-mail, mensagens de texto ou qualquer coisa do gênero. Esta é uma informação muito pessoal que você estará compartilhando, transmitir essas informações virtualmente nunca será uma boa idéia e dará margem a interpretações equivocadas.

Quando você conversa pessoalmente mostra o quanto é importante esse fato e você será muito melhor interpretado além de poder avaliar a reação de seu parceiro (a).

Escolha o seu momento

Evite situações em que você está apressado(a), momentos românticos ou situações em que suas emoções podem ser intensificadas.

Planeje a conversa antes – escolha o dia e deixe saber que você tem algo que você gostaria de compartilhar. Respire profundamente e relaxe da melhor maneira possível antes de começar a falar.

Vá com calma

Comece revelando aos poucos o que está acontecendo. Não despeje de uma vez. Notei que nessas minhas poucas tentativas de relacionamento fui com muita “sede ao pote” e não deu certo eu as assustei com tamanha revelação.

Seja equilibrado(a)

Esteja ciente da linha tênue entre manter a sua privacidade e mentir por omissão. Se você ficar meses em um relacionamento com alguém sem ter dito a ela(e) sobre a sua condição ou a extensão desse “problema”, a sua (seu) parceira(o) pode se sentir como se eles fossem enganados. Como você poderia evitar isso? Mais uma vez, confie no seu instinto. Coloque-se no lugar deles, e haja em conformidade.

Este é o meu conselho sobre relacionamento, mas adicione suas próprias ideias e faça o que funciona melhor para você. O que importa, acima de tudo, é que você se sinta confortável com a forma como as coisas estão progredindo, o que realmente importa É O AMOR, é SER FELIZ.

Anúncios

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: