O médico Gustavo Guerreiro da dicas importantes sobre osteoporose

A osteoporose é a principal doença óssea metabólica e na atualidade um dos maiores problemas de saúde pública. Sua definição pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é “Doença esquelética sistêmica caracterizada pela diminuição da massa óssea e deterioração da micro arquitetura do tecido ósseo com consequente aumento a fragilidade e susceptibilidade à fratura”.

O médico especialista Gustavo Guerreiro ressalta a importância da agilidade para o diagnóstico; ‘’ Infelizmente é uma doença que não tem cura, mas o diagnóstico precoce beneficia e muito o tratamento’’, explica. A osteoporose causa dores limitantes e fraturas, sendo por vezes esta o informante do diagnóstico, ou seja, comumente “hipodiagnosticada” e tratada de forma não eficaz. São várias as causas da osteoporose, sendo mais comum em mulheres após a menopausa, idosos, dependentes do tabagismo e álcool e decorrentes de alterações hormonais. Fraturas resultantes de traumas mínimos podem sinalizar um problema do metabolismo ósseo. Nem sempre o tratamento é feito apenas com reposição de cálcio, sendo necessário o diagnóstico da origem da mesma, para otimizar o tratamento. O doutor Gustavo Guerreiro destaca os fatores de risco que podem levar à osteoporose, dentre eles:

– Histórico familiar da doença;
– Pessoas de pele branca, baixas e magras;
– Deficiência na produção de hormônios;
– Medicamentos à base de cortisona, heparina e no tratamento da epilepsia;
– Alimentação deficiente em cálcio e vitamina D;
– Baixa exposição à luz solar;
– Imobilização e repouso prolongados;
– Sedentarismo;
– Tabagismo;
– Consumo de álcool;
– Certos tipos de câncer;
– Algumas doenças reumatológicas, endócrinas e hepáticas.

Para aqueles que já possuem o diagnóstico da doença, é importante que sejam adotadas medidas simples para se evitar quedas, tais como retirar tapetes, disposição adequada de móveis, evitar o uso indiscriminado de tranquilizantes.

Hoje em dia está nascendo uma nova arquitetura para pessoas da terceira idade que evita a queda e o esforço em demasia respeitando as características desta população que, em breve, será a maioria. Outro fator importante na terapia da osteoporose é a introdução de exercícios adequados e a exposição ao sol como terapia adjuvante. Não se deve proibir o portador de osteoporose de andar, caminhar, tomar sol pelo medo da fratura, mas adequar sua vida e reduzir seus riscos.

Para finalizar, o doutor Gustavo Guerreiro pede atenção dos pais, pois a doença não estabelece idade máxima ou mínima, podendo atingir crianças e adolescentes. Os fatores de riscos descritos acima devem ser observados e levados em conta para um possível exame.

Para prever e evitar o desenvolvimento da Osteopenia (estágio que antecede a Osteoporose) para a Osteoporose em si é a prevenção, com dieta balanceada, rica em cálcio e atividades físicas de rotina. Mantenha-se atento aos sintomas e visite um especialista periodicamente para obter exames e o diagnóstico.

Fonte: Radio Rural

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!