Não sabia o que era a AR

Tinha acabado de ter minha filha, quando ela estava com 7 meses de nascida  as dores começaram no quadril, por eu não saber o que era, eu fiquei 3 dias dormindo sentada e o restante do dia quase não me mexia. Até que no terceiro dia eu disse que assim eu não poderia ficar. Olhei as páginas amarelas (existiam na época para se achar algum endereço comercial). Fui folheando até que me deparei com um reumatologista. Marquei uma perto da minha casa. Assim que entrei no consultório ela me falou: -Ih, nem preciso examinar! Me passou Tramal e pediu que assim que eu me sentisse melhor passasse por uma medicação mais fraca, tipo Ponstan, ou algo assim. Me tratei com ela por um tempo, ela me receitou Cloroquina. Fiz exames dos olhos, entre outros, mas me afetou a visão, então ela me passou para o Celebra, mas não deu em nada.

Eu desisti por um tempo, ainda não sabia direito o que era a AR, achava que ia tomar um remédio e ficar boa, assim como uma gripe. Abandonei tudo por um tempo, depois procurei outros médicos, uns 3 eu acho, e acabei voltando nela. Nessa época eu perdi o meu plano de saúde porque a grana ficou curta e ela me encaminhou para um hospital público com o Professor dela. Estou lá até hoje neste hospital desde 2007. Bem, tomei metrexato com cortisona, até que comecei a tomar Arava.

Fui melhorando de uma tal forma que ele tirou o metotrexato e a cortisona. Tomava apenas 1 comprimido de Arava por dia.  O governo resolveu trocar o Arava, eu pegava de graça na farmácia de medicamentos especiais pelo Leflunomida, nome do princípio ativo, só que fabricado por aqui mesmo e não do laboratório Sanofi como era o Arava. Bem, ai eu já tive uma piora. Mas para piorar tudo faltou o remédio por 3 meses e entrei em crise. Fiquei 7 meses sem sair de casa! Tinha que ir de táxi pro hospital e moro bem longe! Eram R$ 250,00 reais cada vez que eu ia! O motorista me esperava para me trazer de volta. Meu médico resolveu tentar Humira, tomei varias vacinas de gripe, de tuberculose de sei lá mais o que, foram 4 no total. Exames diversos e finalmente comecei. Só que como isso abaixa a imunidade me surgiram erupções na pele e problema dentário.

Tenho que parar de tomar  para tratar os dentes e uma “bola” no meu olho. Estou muito, muito cansada e desanimada! Voltei para o metrexato e para o cortisona. Já engordei 8 quilos e isso não é só a estética, a baixo estima, é o peso que voltei a carregar, pois tinha emagrecido 19 quilos. Sexta Feira dia 16 de dezembro de 2016 tenho consulta, estou levando um parecer da dentista e vamos ver o que vai acontecer. Mas estou cansada e desanimada. Hoje tenho 58 anos e me pergunto o que ainda estou fazendo aqui?

Me chamo Maria Cristina Alfaya, tenho 58 anos, possuo o diagnostico de artrite reumatoide há 19 anos, moro no Rio de Janeiro – RJ.

Dor Compartilhada é Dor Diminuída“, conte a sua históriae entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

“Conte a sua História”

www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!