Governo de Minas atrasa repasse de medicamentos à Farmácia Municipal

A nova previsão é de que 24 tipos de remédios sejam entregues na próxima semana

medicamentos-q-continuam-em-falta-1024x768Araguari é mais um dos diversos municípios mineiros que estão sofrendo com a falta de medicamentos para a população. O Governo de Minas Gerais, por meio da secretaria do Estado de Saúde (SES), atrasou em quase 60 dias a entrega de medicamentos direcionada ao município. A informação foi repassada pelo farmacêutico Thiago de Moraes Souto.

Segundo ele, são 24 tipos de medicamentos de uso contínuo e mais caros: Periciazinha 4% (Neuleptil), Stelazine 5mg, Salbutamol XPE, Estriol Creme, Sinvastatina 10mg, Gliclazida 30mg, Amox + Clavulanato Susp., Losartana 50mg, Metildopa 500mg, Cloreto de Potássio (KCL), Predinisona 5mg, Ibuprofeno Suspensão, Nifedipina 20mg, Ciprofloxacino, Anlodipino, Cetoconazol CP, Nistatina Creme, Cefalexina Susp.; Espironolactona, Amoxilina 500mg, Losartana 25mg, Enalapril 20mg, Omeprazol e Cetoconazol Creme.

A entrega de medicamentos ocorre trimestralmente. “Tivemos um atraso e a população deve entender que não é culpa da prefeitura ou da administração da Farmácia. Pedimos a compreensão de todos, pois, conforme nos foi informado, os lotes devem chegar no dia 10 de junho,” disse.

A orientação repassada pela diretora da unidade Cássia Cardoso é de que os usuários aguardem a entrega do estado ou, em casos de urgência, procurem as Farmácias Populares, onde medicamentos para pressão e diabetes estão sendo disponibilizados. É importante ressaltar que os mesmo são distribuídos de forma gratuita. “Em caso de cobrança de alguma taxa, como estava acontecendo em algumas farmácias da cidade, o usuário deve se recusar a pagar e fazer a denúncia, pois estes medicamentos são populares e devem ser distribuídos sem custos para o cidadão,” alertou.

A doméstica Jussara Resende Santos, de 54 anos, até perdeu a conta do número de vezes que esteve na Farmácia Municipal para buscar os medicamentos básicos dos quais faz uso contínuo. Luciene tem problemas neurológicos e precisa tomar diariamente alguns remédios como Enalapril, Anlodipino e Omeprazol. Todos fornecidos pelo município, mas que estão em falta. Para outras informações, a Farmácia Municipal está localizada na praça da Constituição n.º 191, no Centro, ao lado do antigo Pronto Socorro.

Estado assume responsabilidade por falta de medicamentos

Diante da falta de boa parte de remédios na Farmácia de Minas (Farmacinha), a secretaria municipal de Saúde cobrou do estado uma resposta que foi obtida num documento enviado pela Superintendência de Assistência Farmacêutica da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais, no qual assume a responsabilidade pela falta de medicamentos em todo o estado. No documento a secretaria Estadual informa que vem trabalhando no sentido de resolver este problema.

Fonte: Gazeta do Triângulo Mineiro

Jornalista

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×
Jornalista Grupar EncontrAR

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!