Especialistas discutem nova visão do tratamento da dor na ortopedia

Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia traz debate de quais as terapias mais modernas para controlar a dor de fraturas na bacia e na coluna.

Nos dias 17 a 19 de novembro, será realizado o 48º Congresso Brasileiros de Ortopedia e Traumatologia (CBOT), o maior evento científico do segmento de todo o país que reunirá cerca de 5 mil especialistas na cidade de Belo Horizonte. A programação terá como um de seus destaques o Simpósio “Cirurgia ou tratamento conservador: A dor como centro da decisão” que traz para debate a visão moderna de como deve ser o tratamento de pacientes que tiveram fratura da bacia (pelve) e coluna (torácica e lombar) tendo a dor como ponto de partida.

Apesar de específica, a discussão torna-se relevante quando são observadas as altas incidências destes dois tipos de lesões, ambas frequentemente associadas a acidentes de trabalho ou de trânsito. As estatísticas apontam crescimento nacional de mais de 58% no número das vítimas hospitalizadas em acidentes de trânsito (2008-2012), e o Brasil chegou a contabilizar mais de 700.000 acidentes de trabalho (2013).

Segundo Dr. Leonardo Rocha, do Grupo de Trauma Ortopédico do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia e palestrante do evento, falar sobre o controle da dor nestes casos é fundamental, visto que a recuperação do paciente e sua qualidade de vida dependem da minimização das sequelas da dor – seja aguda ou crônica. “A dor é um dos principais sintomas em um centro de tratamento de urgência e emergência, muitas vezes o tratamento cirúrgico precisa ser feito e o controle de dor pós-operatória é fundamental, porém algumas vezes o paciente não tem condições clinicas de ser submetido a uma cirurgia e o tratamento conservador adequado pode proporcionar uma boa qualidade de vida desses pacientes. ”

O especialista ainda destaca que, dentro desta abordagem multimodal, os opioides de liberação lenta – tipo de medicamento que mantém uma melhora da dor por longos períodos, tem um papel de grande relevância para melhorar a mobilidade dos pacientes. “Um controle de dor adequado no pós-operatório permite que o paciente ande mais precocemente, tolere melhor a reabilitação funcional e volte as suas atividades de trabalho o quanto antes. ”

O debate, promovido pela Mundipharma, líder no tratamento de dor, contará ainda com a participação de Dr. Victor Baraúna, especialista em Dor da Universidade Federal da Bahia; e Dr. Ildeu Afonso de Almeida Filho, coordenador do serviço de ortopedia do Hospital Felicio Rocho.

CBOT 2016 | Simpósio “Cirurgia ou tratamento conservador: a dor como centro da decisão”

Data: 17 de novembro de 2016

Horário: 12h15 às 13h45

Local: Sala Belo Horizonte

Fonte: SEGS

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!