Como a osteoporose e o hormônio estão relacionados

A osteoporose é uma doença que se desenvolve nos ossos e que atinge, atualmente, 10 milhões de brasileiros. É um número que pode ser diminuído alertando a sociedade sobre medidas preventivas que podem ser tomadas, além de conscientizar sobre os fatores de risco, o diagnóstico e o tratamento. Quando uma pessoa pensa em osteoporose, é normal ela achar que é uma patologia exclusiva de idosos, já que geralmente afeta aquela população acima dos 40 anos, porém, esse pensamento deve mudar, já que ela pode se desenvolver também em crianças.

Nesses casos, ela está relacionada a fatores hormonais e é classificada como osteoporose tipo secundária, a que surge por causa de outras doenças que prejudicam a massa óssea ou até por causas que não são possíveis de identificar. Entre os problemas hormonais mais comuns que têm o potencial de provocar o desenvolvimento de osteoporose estão a intolerância à lactose, complicações na absorção de cálcio e problemas respiratórios como o asma. Mas não se preocupe, a presença desses distúrbios não significa necessariamente que a criança tem osteoporose, embora sempre é bom ficar alerta.

Problemas hormonais femininos

Dessas 10 milhões de pessoas, aproximadamente, que têm osteoporose no Brasil, a maioria delas são mulheres. Isso devido a que o sexo feminino está mais propenso a desenvolver a doença graças a alguns fatores endócrinos, como é o caso da menopausa. Logo, a partir dos 40 anos, idade em que a menopausa pode começar a apresentar sintomas, a chance de a mulher desenvolver osteoporose aumenta, e, mais tarde, no período pós-menopausa, já que entra em jogo também o fator da idade avançada.

Toda mulher produz um hormônio chamado estrogênio, cuja função varia desde controlar a ovulação e o ciclo menstrual até reter o cálcio nos ossos. Quando os ovários param ou reduzem a produção desse hormônio, o que acontece durante a menopausa, a massa óssea começa a ser perda e a probabilidade de ter uma fratura intensifica. Uma em cada três mulheres já sofreu alguma fratura óssea devido à osteoporose após os 50 anos, o que mostra a importância da divulgação de informações sobre a doença.

Como prevenir a osteoporose?

Existem diversas formas em que a osteoporose pode ser prevenida. A maioria dessas medidas preventivas consiste na mudança de hábitos a práticas saudáveis, como:

  • praticar atividade física de baixo impacto (por exemplo natação e hidroginástica);
  • tomar sol para obter vitamina D de 5 a 7 minutos por dia;
  • ingerir alimentos ricos em cálcio (mas fique atento à quantidade certa para você).

Procure um especialista

Se você sente dor nos ossos constantemente, tem uma postura encurvada e tem tido fraturas em um período curto de tempo, é bom procurar um médico para fazer análises, já que é possível que você tenha osteoporose.

Fonte: OrtoCenter

Social Media
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

  1. Sofro muito com a artrose dores terríveis falta de mobilidade e nenhum direito a saúde digna

Olá, deixe um comentário!