Brasil aprova nova droga biológica contra o lúpus “Benlysta – Belimumabe”

LupusO primeiro medicamento desenvolvido em mais de 50 anos para tratar especificamente pessoas com lúpus chegou ao mercado brasileiro neste mês. A droga, batizada de Benlysta, é uma proteína que combate o processo responsável por levar o corpo do paciente a atacar as próprias células de defesa.

O tratamento é caro. Cada infusão da droga, administrada por injeção intravenosa, custa R$ 3.800 para alguém com até 60 kg. Só no primeiro ano do tratamento, é preciso desembolsar R$ 57 mil pelas 15 doses previstas, mas o custo pode ser maior, de acordo com o peso do paciente, segundo a fabricante GSK.

O tratamento existente hoje, à base do anti-inflamatório cortisona, não custa mais do que R$ 2.000 ao ano. A droga também é distribuída pela rede pública de saúde.

‘Não tinha força para abrir pasta de dente’, diz paciente que se recuperou do lúpus

Estima-se que o Brasil tenha 200 mil pessoas com lúpus. Por ano, mais de mil casos são diagnosticados. Segundo o Ministério da Saúde, em 2012, a doença levou à internação 4.475 pessoas. As mulheres são as mais afetadas. Em cada grupo de dez doentes, nove são mulheres em idade reprodutiva.

O lúpus é uma doença autoimune. Morton Scheinberg, reumatologista que coordenou parte dos testes clínicos da nova droga no Hospital Abreu Sodré, explica que os linfócitos B, células de defesa, produzem anticorpos que atacam o organismo das pessoas que têm a doença.

O lúpus mais “leve” causa artrite, fadiga, perda de cabelo e problemas na pele. Em fase moderada, a doença leva a uma queda no número de plaquetas e glóbulos brancos no sangue. Casos graves acometem os rins e o sistema nervoso central, causando desde dores de cabeça até convulsões e paralisia.

O novo remédio, que também é um tipo de anticorpo, dificulta o amadurecimento dos linfócitos B para reduzir seu ataque aos tecidos saudáveis do organismo.

Segundo Roger Levy, professor da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e pesquisador que avaliou o Benlysta no Brasil, os efeitos adversos da cortisona aparecem com o tempo. “Anos de uso podem causar diabetes, hipertensão, aumento de peso, queda de cabelo e necrose nos ossos”, afirma.

A nova droga, porém, não é isenta de efeitos colaterais, incluindo infecções graves, náuseas, diarreias e febre.
De acordo com o reumatologista Luiz Coelho Andrade, da Unifesp, o Benlysta não vai substituir o tratamento existente. “O uso deverá ser complementar ao tratamento convencional.”

O médico nota avanços no tratamento da doença. “Há 40 anos, mais da metade das pessoas com lúpus morria. Hoje, quando o paciente descobre que tem a doença, dizemos que ele vai levar uma vida normal, apesar de eventuais complicações.”

A FDA (agência reguladora de fármacos nos EUA) autorizou a venda do Benlysta após oito anos de pesquisa. Os estudos foram feitos em 31 países, incluindo o Brasil. A GSK diz que pretende comercializar o medicamento também na versão para injeção subcutânea em três anos.

Colaborou DÉBORA MISMETTI

DHIEGO MAIA e RICARDO MANINI participam do 1º Programa de Treinamento em Ciência e Saúde, que tem patrocínio institucional da Pfizer

Matéria da Folha de São Paulo em 22/07/2013

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

49 Comentários

  1. E o preço desse remédio, vai ser disponibilizado pelo SUS oju tem quecentrar na justiça evos criterios para o uso, transplante de células tonco não sai mais barato e a remissão não seria maior.
    Pois continuar tudo o que tomo um ha mais paliativo nao vejo beneficio ou praticamente paciente terminal . Grata pela divulgação.
    Jacira Costa

    • Jacira, o Belimumabe é um novo medicamento, já está registrado no Brasil e pode ser comercializado, porém, o preço deste medicamento é de altíssimo custo e não está disponível no SUS e nem no plano de saúde, as únicas formas de ter acesso é comprando de forma particular ou através da judicialização (liminar), porém, antes de qualquer coisa, você precisa conversar com o seu médico sobre isso, se existe a necessidade e a segurança para trocar de medicamento. Lembrando que o Belimumabe é um medicamento biológico e tem importantes efeitos colaterais,sendo um deles a baixa da imunidade, e a decisão de troca é médica, que deve ser compartilhada e discutida com o paciente. Te convidamos a fazer parte do nosso grupo de apoio no facebook https://www.facebook.com/groups/encontrar/

      Abraços

  2. Eu queria ate ser cobaia deste medicamento mesmo com seus efeitos colaterais, o que são efeitos colaterais perto da propria doença. Ela te destroi aos poucos, e quando você descobre muitas das vezes ja é tarde. O tratamento com esse novo medicamento não parece ser simples mas não tenho medo de correr riscos pra quem ja quase morreu, um dia a mais aqui é um milagre e so assim usando o medicamento é que podemos passar pros nossos filhos aonde estão os erros e acertos. Eu tenho um filho ele pode ser portador desta doença não so ele mas varias outras crianças então eu penso no futuro deles prefiro que seja testado em mim do que neles…. Estou tentando ganhar a medicação quer dizer meu medico esta tentando, eu trato com um nefrologista muitos falam que ele não é apropriado mas eu bato o pé que é porque ele me salvou e ele conseguiu controlar o lúpus além dele se empelhar em entender cada dia mais a doença…

      • OI PRISCILA BOA NOITE!
        TENHO UMA AMIGA QUE TAMBEM TEM LUPOS, E MINHA AMIGA ENTROU COM UMA LIMINAR E CONSEGUI O REMEDIO DE GRAÇAS.
        ESPERO TER AJUDADO.
        BOA SORTE.

        • Pois é, Helena, infelizmente até que o Ministério da Saúde, faça a incorporação no SUS, o caminho será a Judicialização.
          Boa Sorte para sua amiga, espero que ela consiga!!!

  3. Oi, tenho 22 anos e convivo com o lúpus a 10 anos
    Atualmente a 3 anos não consigo controlar, os remédios não seguram o lúpus e ja tive varios efeitos, e me sinto perdida tem hora, comecei a tomar o benlysta dia 28 de fevereiro ainda nao tive nenhum resultado, mas os médicos dizem que é ao longo prazo, tomei uma única dose mas tenho esperança de que vou melhorar !

    • Isabella, eu também faço uso de medicamento biológico, não o Benlysta, pois eu tenho artrite reumatoide e não lupus, mas o efeito dos medicamentos biológicos não são imediatos, pois são medicamentos que fazem efeito ao longo do tempo de uso, em média os primeiros efeitos esperados começam a acontecer após a 8º semana, mas pode demorar até 6 meses para que tenhamos uma boa resposta sobre o controle da doença. A nossa vida é ter paciência, aliás, somos pacientes + impacientes querendo estar bem. Forças!!!

  4. Olá, tenho LES há 15 anos e estou passando por mais uma crise (dessa vez, com vasculite autoimune). Sempre fiz o tratamento com corticoides e imunossupressor, mas dessa vez os resultados não estão aparecendo… Estamos (eu e minha médica) analisando a possibilidade de entrar com o Benlysta, mas gostaria de ouvir depoimentos de quem já está tomando! Quais são as reações, essas coisas… Estou um pouco apreensiva… Obrigada!

  5. descobri o lúpus a 3 anos e já tive 3 crises. meus familiares falam que nunca mais minha vida sera ativa como antes, eu acredito que com o remédio certo conseguirei ser o que era antes. todos os depoimento que ouço são bem parecidos – vez ou outra teremos uma crise- NÃO me conformo isso NÃO e vida. fico feliz em saber que existem profissionais que pesquisam “nosso reviver” ….

  6. Olá, sou Karla, tenho 38 anos!
    Tenho Lupos a 12 anos, O lupos me levou a paralisia a suficiência renal, queda de cabelos, diabetes e a erupções na pele, sofro muitas dores musculares, faço tratamento com o cortisona, Mas queria ter uma vida melhor, por que sou jovem, tenho muito vida pela a frente, e gostaria de viver. Com o medicamento Benlysta , espero ser respondida por algum profissional, pois não tenho condições para pagar o tratamento!

  7. Vamos divulgar esta excelente descoberta! Levei 2 anos para descobrir o lúpus pois achava-se apenas uma plaqueteopenia. Usei Rituxmab e me mantive sem crise por 7 meses. Usei por longos períodos os corticóides e com ele sofei todos os efeitos colaterais. Agora chega uma novidade no campo da medicina que é este remédio, ainda não utilizei mas tenho certeza de que temos a esperança de um dia ser realizada a cura para esta doença tão inesplicada.

  8. meu nome é luciara e tenho lupús a 10 anos e gostaria muito de saber mais sobre o novo medicamento e como obtelo pelo de graça ou pelo sus

    • Luciara, o Benlysta ainda não consta na lista de medicamentos fornecidos pelo SUS, infelizmente a única forma de conseguir acesso à este medicamento é através de ação judicial, mas é preciso sobretudo, ter criteriosa indicação médica. Converse com o seu médico.

  9. Minha esposa tem lúpus como é difícil controlar essa doença, toma remédio pra uma coisa ataca outra é uma situação bem delicada, olhando nesses comentário desse novo medicamento se alguém já entrou na justiça e consegiu ai da juris prudencia automaticamente todos tem direito.

    • Olá, Renato, temos várias pessoas em nosso grupo de ajuda online que estão fazendo uso de Benlysta através de processo judicial, no entanto, o que tem maior peso, no processo, não é a jurisprudência e sim a indicação clinica e médica, sugiro que faça parte do nosso grupo, lá vc poderá trocar experiência com várias pessoas que estão nessa condição, o link do grupo é: https://www.facebook.com/groups/encontrar/
      abraços!!

  10. Olá, minha esposa tem LUPUS Eritematoso, e faz uso de alguns medicamentos com acompanhamento do Hospital do Servidor Publico de São Paulo (IAMSPE), já tinha ouvido sobre o Benlysta ha algum tempo atras, gostaria de saber como devo proceder para poder ter acesso a esse medicamento de graça, quem puder me informar detalhadamente o que fazer ficarei muito grato. Que esse medicamento venha oferecer uma melhor qualidade de vida a todos.
    Obrigado.

    • Hélio, a única forma de ter acesso ao Benlysta é através da justiça (judicialização), como sua esposa se trata no IAMSPE, certamente se ela tiver indicação médica e for prescrito, ela terá o fornecimento pelo próprio IAMSPE.
      Converse com a equipe médica que cuida dela, para verificar se ela tem indicação.
      Boa Sorte.

  11. Bom dia Priscila

    Meu filho de 14 anos foi diagnosticado com Lupus aos 10, não conseguimos estabilizar a doença e ele faz uso de corticoide desde então.

    Entrei no linke do grupo e gostaria de fazer parte do grupo para trocarmos experiencias

    Obrigada

    Denise

  12. Olá, venho tratando de artrite reumatoide desde 2013, sinto dores em todas as articulações, incluindo a mandíbula, muito cansaço, fraqueza, queda de cabelo, manchas nas costas, e roxos sem motivos aparentes.. Tive dois exames do FAN positivo, porem vários negativos. Meu caso é semelhante a varias pessoas que tem lúpus… As vezes fico pensando se não tenho é lúpus? Já fiz uso da injeção Golimumab, porem não teve muitos resultados hoje eu uso a Enbrel-etanercepte e cortisona. Não procurei uma segunda opinião médica, estou com o mesmo reumato.

  13. Muito bom esse medicamento pra gente mas e uma pena que muitos nao vao poder ter ,todo mundo ja viu esse remedio e caro de mais gente,da onde vamos tirar esse dinheiro eu mesmo nao tenho condicoes nehuma de ter .queria muito conseguir tenho lupus …sera q vamos conseguir pelo alto custo . se conseguirmos tbm vai concerteza demorar..

  14. Olá Denise! Meu nome é Nilson e assim como vc, tenho meu pequeno também tratando está doença. Acompanho vários grupos e é muito raro encontrar o Lupus em meninos. O meu filho foi diagnosticado com 7 anos, hoje ele tem 10 anos, e também nunca entrou em remissao, embora ele esteja muito bem.

    Tratamos com corticoice de 5mg e reuquinol.

    Espero que seu filho esteja bem! Tenho a certeza que a idade deles os ajudarão, pois possuem tempo para esperar pela cura, que se Deus quiser chegará em breve.

    Se quiser podemos falar mais a respeito.

    Abs.

  15. Hj mais da metade ainda morre, a verdade e que a expectativa de vida de quem tem lupus nao passa de 25 anos apos descoberta. E so frequentar a ala de lupus de um hospital pra ver como as pessoas tem morrido dessa doença.

    • Verdade, Edevane o sofrimento e o acesso ao tratamento ainda é bastante burocratizado! Mas seguimos na luta por melhores políticas públicas de atenção e cuidados integrais!

    • Besteira você dizer isso. Minha mãe tem lúpus há quase 30 anos e vive muito bem. Comentários como o seu só servem para preocupar as pessoas…

  16. Tenho este tipo de Lupus a 41 anos, fui diagnosticada com 17 anos, na epoca tomei o plaquinol, me fez bem, fiquei um tempo sem uso, me casei, tive 3 filhos , gracas a Deus, ate agora todos bem, mas agora meu cabelo na parte da frente caiu todo, estou fazendo uso da talidomida e da hidrocloroquina.Me trato no Fundao, na clinica de colageno.Tirando a falta de cabelo, gracas a Deus estou vivendo bem, mas queria saber se este remedio e para curar ou so paliativo?

    • Maria, sinto muito pela sua queda de cabelo 🙁
      O Belimumabe não é a cura, mas é uma oportunidade moderna e biotecnológica para o tratamento do Lúpus, infelizmente a cura ainda não é possível, mas saber que podemos contar com medicamentos modernos e com menores efeitos colaterais, isso é muito importante.
      Abraços

  17. Olá,

    Minha mãe foi diagnosticada com Lúpus recentemente, embora hj sabemos que a doença esteve presente há muito. Só o diagnóstico que demorou a chegar. Tratou-se de insuficiência renal (tomou eritropoietina), anemia, trombose, síndrome de reynaud, enfim… Agora investigando a questão do sistema nervoso central por perda parcial do tato.

    Está em um estágio em que a doença está muito agressiva. Vamos ao reumatologista uma vez por semana (embora tenha acompanhamento de neuro, angiologista e nefro, paralelamente). Tem 81 anos. Às vezes, como hj, penso que não vai conseguir andar. Mas vamos lutando.

    Nesse estágio, a medicação pode ajudar. Já li algo sobre restrição do uso em pacientes idosos.

    Obrigada,

    Ana

    • Ana Lúcia a indicação do belimumabe segue critérios médicos indicados na Bula, como a sua mãe tem alguns comprometimento e ainda tem o fator idade, o médico dela é a melhor pessoa para falar sobre a indicação, mas existem várias alternativas de tratamento, converse com ele sobre isso. Estimo a recuperação da saúde dela, super boa sorte!
      Abraços.

  18. A jornada começou em 2003, primeiro fizerem diagnostico de AR, tive que trocar de reumato algum tempo depois diagnosticou LES,tive que novamente trocar de reumato novamente disse que era AR, fiquei bem ele suspendeu a medicação fiquei 2 anos livre de remédios, foi quando engravidei do filho hoje com 4 anos e a 1 ano começaram os sintomas novamente e fui parar no hospital do fundão onde fizeram o diagnostico de LES e LEC, estou fazendo o tratamento primeiro fiquei muito mal perdi muito peso o cabelo, e agora esta sob controle, e o que entristece é a demora no diagnostico e os enganos ainda bem que o tratamento de LES é bem parecido com o de AR.

    • Olá, Sueli
      Que chato tudo isso!! Super estimo sua recuperação para que você possa curtir sua família.
      Sim,o tratamento é semelhante ao da AR + temos alguns medicamentos diferentes, porém, em efeito colateral ficamos iguais.
      Melhoras!

Olá, deixe um comentário!