Depoimentos

Vivo cada dia de uma vez, sem desistir!

Olá pessoaL! Em 2015, no verão de janeiro fizemos uma pequena construção na praia e em fevereiro ela ficou pronta. Naquele início de março eu comecei a sentir dores nos pés e fui ao médico, que disse ser esporão e realmente eu tinha ou podia ser pelo esforço feito na obra. Tomei medicamentos e a dor não cessava.

Em meados de junho cheguei ao meu limite da dor, cansaço, sono, não tinha vontade de sair da cama. Voltei ao médico ortopedista e iniciei tratamentos com anti-inflamatórios. Fui a outros médicos, endócrino, ginecologista, ortopedia, fisioterapia e aguentei a maldita dor quase um ano.

Passei aquele ano com todos me perguntando porque eu mancava? Riam de mim por causa do esporão e meu punho direito começou a inchar. Passado o ano novo em 2016, decidi procurar um reumatologista achando que eu estava com uma doença de idosos e não aguentava mais.

Fui em dois reumatos que não pediram exames. Foi aí que eu achei outro médico que me pediu um monte de exames e veio o diagnostico de AR. Tomei corticoide somente. Engordei quase 15 kg. Mudei de reumato que mudou o tratamento para metotrexato sem resultados.

Até que um novo médico veio e agora uso Humira. Estou vendo resultados pela Graça de Deus. Meu exame de AR de 190 o fator, agora está a 74. Ainda tenho cansaço e fadiga, mas cada dia é um dia.

Tenho algumas dores e fiz ano passado uma cirurgia no punho porque já perdi o movimento. Talvez tenha que fazer uma no pé, pois ainda tenho uma dor nele. Fui ao psiquiatra e tomo antidepressivo com foco na fibromialgia que desenvolvi por causa da AR.

Mas cada dia é um dia. Procuro não me abalar. Aproveito como posso e trabalho sempre. Espero que possa ter contribuído para quem está enfrentando essa doença. Seja forte!

Procurem os médicos adequados para a doença. Não percam a esperança e busquem auxílio psicológico!

Meu nome é Simone, tenho 43 anos, convivo com o diagnóstico de Artrite Reumatoide há 4 ano, sou Psicopedagoga e moro em Porto Alegre-RS

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!❤

#depoimento

Artigos Relacionados

Keity Almeida #‎SufferingtheSilence‬

Priscila Torres

O meu sonho impossível se tornou real, nunca desista dos seus sonhos!

Priscila Torres

Dores que começaram depois da gravidez foram os sinais da artrite

Priscila Torres
Loading...