Depoimentos

Uma batalha travada a cada dia com força e muita fé

Tive câncer de útero em 2003, fiz todos os tratamentos. Em 2007 tive outro câncer, agora no intestino, mas tratamento.

Enfrentei uma depressão profunda por perder minha mãe de infarto fulminante, ela que cuidava de mim, aí depois de muita luta me recuperei. Foi quando voltei a trabalhar mais não durou muito comecei a sentir muitas dores febre e vermelhidão que ficava roxo.

Fui consultar com um hematologista, em 2010, que depois de muitos exames me diagnosticou com Lúpus Eritematoso Sistêmico, e travamos então uma batalha com medicamentos, e devido ao lúpus, hoje sofro também de fibromialgia e espondilite anquilosante bilateral nos quadris.

Estou recebendo auxílio-doença desde então não consigo nem me vira na cama sem ajuda, pra por uma calça tenho que me sentar num local baixo.

A minha reumatologista me passou o etanercept, mas não deu certo devido ao câncer, que tem a probabilidade de voltar.

É uma luta diária, só que sofre com essas doenças pode nos entender.

Meu nome é Glacy, tenho 50 anos, convivo com doenças reumáticas há 6 anos, sou cozinheira e moro em Telêmaco Borba-PR.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!❤

Artigos Relacionados

Mãe não erra! era artrite

Priscila Torres

Espondilite e Dor – O principal fator limitantes da espondilite é a dor

Professor Samuel Oliveira

Parece clichê mas devemos valorizar e agradecer por cada dia

Priscila Torres
Loading...