if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

Um trauma que vou levar para a vida inteira

Sou cabeleireira por amor a profissão, fazia pole dance, dança de salão, Zouk e academia regularmente. Com 32 anos tive um mau jeito na coluna, logo depois disso começou as dores. Começou com os dedos inchados que me impossibilitavam de trabalhar. Mês a mês eu ia até uma farmácia próxima de casa para tomar uma injeção que tirava minhas dores, enquanto esperava pela consulta ao médico público. Levou meses até que fui diagnosticada com a artrite reumatoide.

Encaminhada ao reumatologista, fiz vários exames, ultrassom, inúmeras medicações e no início o prednisona tirava minhas dores, mas alguns calombos apareceram nas articulações das minhas mãos. Eu já não conseguia lavar uma louça direito, dirigir, pegar um copo com água, escovar o meu cabelo comprido era doloroso, até que cortei pois ficou mais fácil e menos doloroso.

Estava sempre com tudo doendo muito até que depois de 3 anos parada com todos os exercícios porque estava sempre muito inchada, resolvi voltar a caminhar pela manhã. As crises diminuíram, o médico me passou apenas o prednisona 5mg, adtil todos os dias e enfim as dores se foram e eu já conseguia trabalhar bem e a usar sapato fechado, o que fazia muito tempo que não usava por causa do inchaço no dedo do pé. Sem dor nenhuma, estava muito feliz, acordava de manhã com um pequeno inchaço nos dedos mas que logo já não estava mais.

Nesse meio tempo, eu que já sou mãe de uma moça com 16 anos, acabei engravidando novamente. Estava muito feliz, voltei ao reumatologista e ele me permitiu apenas o prednisona 5mg quando estivesse com dor. Quando completei um mês de gestação as dores voltaram com tudo. Meus joelhos incharam muito de eu não conseguir dormir. Passava a noite com compressas de gelo e desesperada chorava muito de dor. Mal dormia.

Com 7 semanas tive um sangramento e perdi o bebê. Foi um trauma que vou levar para a vida inteira. Nunca me vi tão deprimida, meu medico me receitou calmantes pois o choque foi muito grande. Me recordo que quando internei para fazer a curetagem(procedimento para limpeza do útero) falei para médica que eu precisava tomar a prednisona todos os dias pois morria de medo de piorar as dores. Fiz a cureta e naquele desespero todo, me vi sem as dores da AR, sem a medicação, sem nada. Fiquei praticamente 1 ano sem nenhuma crise.

Tomava o prednisona as vezes apenas quando meus dedos davam sinais de um inchaço no qual logo passava. Passado esse um ano, acabei engravidando de novo por um descuido. Mas a felicidade era grande. Infelizmente durou novamente 7 semanas e veio outra perda. Dessa vez, junto a dor da perda, voltou a dor da artrite com tudo. Estou sem trabalhar, as vezes não consigo por os pés no chão. Consegui uma nova consulta com o reumatologista para essa semana, pois é público e a falta de profissional na área é grande, sendo assim muito demorada a fila de espera.

Não penso em tentar engravidar novamente, até que eu consiga descobrir a causa. Nesse momento estou com o punho muito inflamado, dedo do pé onde não cabe um sapato, dor nos ombros e um pouco no quadril. Mas com uma fé inabalável de que se a cura não foi achada pelo homem, ela existe em Deus e tenho certeza que ele irá me curar. Tenham fé, a cura existe em nome do Senhor! Deus de tudo sabe…

Me chamo Elicélia André da Silva , tenho 36 anos, convivo com artrite reumatoide há 3 anos, sou cabeleireira, moro em São Paulo – SP.

Dor Compartilhada é Dor Diminuída“, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

“Conte a sua História”

www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

 

Anúncios

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: