Como gerenciar o uso de metotrexato em uma criança?

Sociedade de Reumatologia de Brasília dedica editoria especial que conta com participação de pacientes

Como gerenciar o uso de metotrexato em uma criança?  Quais as diferenças entre o MTX oral e o injetável?
Qual via de administração é mais adaptável para uma criança?

O metotrexato é usado uma vez por semana, e deve ser tomado no dia em que a criança e os pais ficam mais tempo juntos para que seja garantido a adesão ao tratamento e a observação de efeitos adversos. Nas farmácias somente encontramos o metotrexato oral em pequenos comprimidos de 2,5mg. Não é encontrada apresentação em líquido. Por isso, conforme o peso da criança, podem ser prescritos três, quatro ou mais comprimidos para serem tomados no mesmo dia. Para crianças menores que não tomam comprimidos, a opção de tentar dissolver o comprimido não é boa pois o gosto fica muito amargo. Sugestões são: como o comprimido é pequeno, dar um de cada vez dentro de um pedaço de banana, ou com iogurte.

Diferenças do metotrexato injetável e o oral – O metotrexato injetável garante mais o nível sérico da droga, mas por outro lado é uma injeção toda semana e isso pode interferir na adesão ao tratamento. As apresentações do metotrexato injetável para uso de doses pequenas semanais no domicílio não são mais encontradas nas farmácias. Nas unidades de saúde, frascos com maiores quantidades podem ser abertos e o conteúdo dividido em doses fracionadas para vários pacientes, o que também dificulta muito a adesão ao tratamento pela necessidade de deslocamento do paciente para unidade de saúde. O metotrexato oral parece desencadear mais náuseas que o injetável. O metotrexato oral é barato e fácil de ser encontrado nas farmácias.

A via mais adaptável para uma criança é a oral.

O que os pacientes querem saber – Sociedade de Reumatologia de Brasília, dedica um espaço especial para esclarecer dúvidas dos pacientes em sua revista “Capital Reumato”, por duas edições o BlogAR colaborou com o envio das perguntas mais frequentes. Confira os esclarecimentos sobre reumatologia pediátrica, explicados pela Dra. Maria Custódia e Dra. Cristina Magalhães.

Baixe essa edição da Revista Capital Reumato gratuitamente no link: https://reumatodf.com.br/images/REVISTA_REUMATO_WEB2_1_compressed.pdf

Edições anteriores podem ser baixadas em: www.reumatodf.com.br.

Em nome dos pacientes e famílias brasileiras que convivem com doenças reumáticas, o BlogAR agradece à Sociedade de Reumatologia de Brasília, em especial a editora Dra Luciana Muniz e a presidente Dra Isadora Jochims pela oportunidade de acesso à informação de qualidade e em linguagem acessível.

REVISTA_REUMATO_WEB2_1_compressed

This is a private page. To make it public, edit it and change the visibility.

[wdi_feed id=”1″]

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));