Quem tem dor, tem pressa e não pode esperar o Covid passar. Ministério da Saúde, cadê os medicamentos da farmácia de alto custo?

0
132

Pacientes de todo o Brasil, se unem em movimento que busca a garantia por medicamentos no tempo certo

Os impactos indiretos da pandemia do coronavírus, têm levado ao agravamento das doenças crônicas não transmissíveis, causados por diversos fatores socioeconômicos, como as dificuldades de acesso aos especialistas e a indisponibilidade de medicamentos nas farmácias de alto custo.

Somente nos 3 primeiros meses de 2021, o “Movimento Medicamento no Tempo Certo” recebeu mais de 1600 relatos de pacientes que encontram-se sem medicamentos, ao todo são 28 medicamentos do componente especializado em falta nas farmácias de alto custo de todo o Brasil.

A exemplo, temos o medicamento adalimumabe 40 mg (seringa preenchida), que segundo dados do Datasus, até fevereiro de 2021, 57 mil pacientes recebiam este medicamento nas farmácias de alto custo. Porém, em fevereiro o Ministério da Saúde informou que não cumpriu os prazos de compra e que estes pacientes irão ficar sem medicamento, até que a gestão do Ministério cumpra todos os procedimentos burocráticos. Será que uma doença crônica autoimune, pode esperar ? Será que todos os doentes crônicos brasileiros, podem esperar o covid passar e o Ministério da Saúde recuperar sua capacidade de gestão pública responsável?

Junte-se ao movimento: Quem tem dor, tem pressa e não pode esperar o Covid passar. Ministério da Saúde, cadê meus medicamentos?.

Como participar?

  1. Grave um vídeo até 1 minuto, dizendo se a doença pode esperar o covid passar, sem tratamento?
  2. Envie o vídeo ou foto, preenchendo o formulário neste link: https://forms.gle/RCi2Hmmi3Pu8Pf427
  3. Publique seu vídeo ou foto, marcando a hastag: #faltademedicamento + #faltade (escreve o nome do medicamento que esta em falta) + medicamentonotempocerto #sus #desabastecimentodemedicamentos
  4. Preencha o registro nacional de falta de medicamentos no SUS, clicando neste link:  https://pt.surveymonkey.com/r/faltademedicamentoSUS (precisamos provar ao Ministério, quais são os medicamentos e em que estado estão em falta, pois para o Ministério da Saúde nunca existe falta de medicamentos. 

Confira a lista de medicamentos que 1600 pacientes, reportaram indisponibilidade nas farmácias de alto custo durante o 1º trimestre de 2021:

AbatacepteEtanercepte 50 mgNaproxeno
Ácido FólicoGolimumabePrednisolona
AdalimumabeHidroxicloroquinaPrednisona
AnlodipinoInfliximabeRituximabe
AzatioprinaLeflunomidaSecuquinumabe
BetametasonaMesalazina cpSildenafila
CertolizumabeMesalazina supTocilizumabe
CiclosporinaMetotrexato cpTofacitinibe
DanazolMetotrexato injUstequinumabe
Difosfato de CloroquinaMicofenolato de MofetilaVedolizumabe
Quem tem dor, tem pressa Redes sociais (1)

Sociedades Brasileira de Reumatologia (SBR), de Dermatologia (SBD) e GEDIIB Manifestam Preocupação com a Falta de Medicamento no SUS para Doenças Imunomediadas

Em carta aberta ao Ministério da Saúde e à população, a SBR, a SBD e o GEDIIB – Grupo de Estudos de Doenças Inflamatórias Intestinais manifestam preocupação e pedem providências imediatas para a falta de medicamento adalimumabe, indicado para diferentes doenças imunomediadas. A interrupção do tratamento, segundo as sociedades pode gerar consequências irreparáveis aos pacientes.

A carta – manifesto informa que tal medicamento é administrado, há mais de uma década,  “para quase 60 mil pacientes, todos portadores de patologias imunomediadas, com indicação em bula para doenças de pele  (como a Psoríase e hidradenite supurativa), assim como reumáticas (Artrite Reumatoide e Espondilite Anquilosante), inflamatórias intestinais (Doença de Crohn) e oftálmicas (Uveítes), dentre muitas outras.”

“Sua descontinuidade pode gerar consequências irreparáveis para a saúde do paciente, como perda de visão, perda de um segmento intestinal e deformidades permanentes. Em muitos dos pacientes é a única droga capaz de controlar sua doença, deixando a grande maioria de seus usuários com a doença inativa”. A carta lembra ainda que,  “no caso da hidradenite, doença de alta carga inflamatória e morbidade, não há sequer substituto terapêutico com potencial capacidade de controle da doença.”

O manifesto das sociedades pode ser lido aqui

Carta_Aberta_Manifesto_falta_de_medicação_-_SUS (2)


Como funciona o formulário?

  1. O paciente ou familiar, registra a falta de medicamentos neste formulário;
  2. A Biored Brasil, ao receber os dados, envia questionamentos ao gestor público responsável pela desassistência farmacêutica;
  3. Os resultados das denúncias registradas são publicados em nossos blogs e redes sociais
  4. Os dados coletados são enviados de formar quantitativa aos meios democráticos de participação social;
  5. Os pacientes que autorizarem contato, serão contactados pelo meio de comunicação selecionado no formulário;
  6. Mensalmente publicamos o cenário da falta de medicamentos, conforme os dados apontados pelo preenchimento deste formulário. As publicações são realizadas nos seguintes blogs da Biored Brasil, BlogAR e Grupar/EncontrAR.
  7. Disponibilizamos um grupo de Whatsapp para facilitar o contato e doação de medicamentos entre os pacientes.
  8. Em concordância com a legislação brasileira vigente de proteção de dados, os dados pessoais coletados serão mantidos em sigilo, a Biored Brasil e as 41 associações de pacientes filiadas, utilizarão estes dados de forma quantitativa e qualitativa para defender a garantia de acesso aos pacientes crônicos brasileiros, buscando de forma democrática e participativa estabelecer diálogos construtivos com a gestão pública nas mais diversas esferas.

Biored Brasil é um projeto de defesa dos pacientes, coordenada pelo Grupo de Apoio ao Paciente de Ribeirão Preto e Região, inscrita no CNPJ nº 07.020.459/0001-04.

Acompanhe as publicações sobre falta de medicamentos no Brasil:

  • https://www.bioredbrasil.com.br/category/falta-de-medicamentos-no-sus/
  • https://artritereumatoide.blog.br/categoria/falta-de-medicamentos/
  • https://artritereumatoide.blog.br/ministerio-da-saude-informa-que-57-mil-pacientes-poderao-ficar-sem-adalimumabe-ate-o-final-do-segundo-trimestre-de-2021/

Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail: contato@bioredbrasil.com.br ou no Whatsapp (16) 3941-5110.

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.