Posicionamento da Sociedade Brasileira de Reumatologia sobre a FIBROMIALGIA

A Reumatologia é uma especialidade da Clínica Médica, exercida no Brasil desde 1949 por cerca de dois mil especialistas, responsável pelo atendimento dos pacientes portadores de doenças que afetam o aparelho locomotor.

São doenças de várias naturezas como por exemplo, posturais, inflamatórias agudas e crônicas, degenerativas, metabólicas, totalizando quase 120 tipos diferentes de enfermidades. Algumas destas evoluem para deformidades, incapacidade funcional para as atividades do dia a dia e impacto negativo na qualidade de vida.

A fibromialgia é uma síndrome dolorosa crônica caracterizada por uma amplificação da percepção da dor, desregulação da resposta de estresse e associação com síndromes funcionais. A queixa central é dor musculoesquelética generalizada crônica, associada a sintomas como fadiga, distúrbio do sono e distúrbios cognitivos.

Com frequência, a fibromialgia associa-se a outras condições em que as sensações do corpo são amplificadas como a síndrome do intestino irritável e cefaleia. A concomitância com depressão e ansiedade agravam os sintomas. O diagnóstico da fibromialgia é totalmente clínico, sem a necessidade de qualquer exame subsidiário.

O principal tratamento da fibromialgia é não medicamentoso, sendo o exercício física aeróbio o tratamento com maior benefício a longo prazo. Educação sobre a doença e psicoterapia também são úteis. Medicações são utilizadas para reduzir sintomas e proporcionar condições para a prática de exercícios.

A fibromialgia não causa deformidades ou insuficiência de qualquer órgão vital. Por ser uma condição de dor crônica generalizada, existe muita dificuldade em mensurar e classificar o grau de incapacidade neste grupo de pacientes, embora seja reconhecido que existe uma queda na qualidade de vida destes pacientes.

A Comissão de Fibromialgia, Dor e outras Lesões de Partes Moles da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) já se posicionou que a fibromialgia não é doença ocupacional e não justifica automaticamente o afastamento do trabalho. Reconhece, porém que, sendo uma síndrome dolorosa crônica, os pacientes estão sujeitos a limitações e até mesmo incapacidade temporária, de acordo com o julgamento médico pericial.

Concluindo, da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), apoia toda a iniciativa para a melhora da qualidade de vida dos pacientes com fibromialgia e nesse sentido é fundamental sua inserção na sociedade como uma pessoa totalmente funcional que não consideramos incapacitada. A SBR se posiciona contrariamente ao estabelecimento de privilégios que discriminem os pacientes com fibromialgia das demais pessoas da sociedade.

Sociedade Brasileira de Reumatologia

Fonte: SBR – Reumatologia

Anúncios
if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));