Por mais difícil que seja não perca a fé!

Não podemos nós entregar para a doença, temos que ser mais fortes que ela. 

Comecei com muita dor, principalmente nas costas. Descobri que era o lúpus atacando um rim, como trabalhava dentro do hospital, quando tinha dor fazia uma injeção para dor ou um anti inflamatório. Até que comecei a ficar muito mal, muita dor, edemas, muitas vezes tinha que passar sonda para urinar. Fui encaminhada para um reumatologista que pediu uma série de exames, foi quando descobri que era o lúpus eritematoso sistêmico e artrite reumatoide.

Comecei o tratamento, mas estava muito debilitada, tive várias internações hospitalares, passei por momentos difíceis, tinha dias que achava que ia morrer. Até que a médica conseguiu estabilizar a doença e por 6 anos trabalhei normalmente, e sempre fazendo o tratamento.

Agora ele está ativo novamente, estou afastada do trabalho a dois anos sem previsão de voltar, estou fazendo infusão de Orencia, uma medicação muito agressiva, mas estou me sentindo bem melhor. Sempre tive meus familiares me dando todo apoio.

Nunca perdi a fé em Deus e sei que vou melhorar novamente. Desenvolvi fibromialgia, mas procuro estar sempre de bom astral, mesmo que as vezes eu sinta muita dor, pois sei que essa face vai passar. Não podemos nós entregar para a doença, temos que ser mais fortes que ela. Por mais difícil que seja não perca a fé!

Meu nome é Jeane, moro no Rio Grande do Sul  e sou auxiliar de enfermagem. 

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://goo.gl/UwaJQ4

Doe a sua história!❤

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: