Pesquisa no Hospital Universitário de Sergipe estuda três modalidades para tratar artrose de joelho

A artrose é uma doença de caráter inflamatório e degenerativo que pode atingir articulações do corpo, a exemplo do joelho. Também conhecida como osteoartrite de joelho, a patologia provoca dor e pode causar deformidades. Normalmente, o diagnóstico é confirmado pelos próprios sintomas e por exames complementares.

No Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), pacientes com a doença estão sendo investigados em uma pesquisa que envolve as áreas de fisioterapia e ortopedia.

De acordo com o chefe da Unidade do Sistema Musculoesquelético do Hospital, ortopedista Diego Protásio, estão sendo avaliadas três formas de tratamento: a fisioterapia, o comprimido e a injeção no joelho, sendo que esses dois últimos foram viabilizados por doação.

“A primeira etapa é selecionar os pacientes no ambulatório de joelho. Os que tiverem os critérios de inclusão, como uma artrose que não tenha sido tratada nos últimos seis meses, podem ser incluídos na pesquisa, destacando que o tratamento todo ocorrerá no HU”, informa o médico. “Os pacientes são informados sobre a pesquisa e submetidos à modalidade selecionada durante um tempo. Passam por avaliação antes, durante e após o tratamento. Queremos ver as respostas para cada modalidade e verificar qual forma é a melhor”, complementa Protásio.

Uma das beneficiadas com a pesquisa é a dona de casa Maria Aparecida Silva, que chegou ao HU com fortes dores no joelho. No momento, ela está na fase de avaliação, e iniciará o tratamento em breve. “A minha principal dificuldade hoje é andar de ônibus, subir e descer os degraus, mas tenho muita fé em Deus e confiança nos profissionais do Hospital Universitário. Espero voltar a ter uma rotina normal”, conta.

A iniciativa da pesquisa começou com um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de uma aluna do curso de fisioterapia da UFS, que envolveu o atendimento a pacientes com artrose no joelho e um protocolo de intervenção de tratamento com avaliação diferenciada, conforme detalha o chefe da Unidade de Reabilitação do HU-UFS, professor Jader Farias.

Fonte: Jornal Dia do SE

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Artigos Relacionados

Apesar das frustrações, mantenho a Fé em Deus!

Tudo começou a alguns anos atrás. Eu estava na metade do curso de graduação em Medicina Veterinária e estava tendo um surto de Zika...

Único tratamento biológico para adultos com Nefrite Lúpica ativa é aprovado pela ANVISA

Estudo clínico (BLISS-LN), que incluiu pacientes brasileiros, demonstrou que indivíduos tratados com Benlysta®, da farmacêutica GSK, tiveram 74% mais chances de alcançar a resposta...

Que tenhamos sempre Paciência e Fé em Deus!

Aos 24 anos, fui diagnosticada com psoríase, além das lesões, no corpo, que me deixavam deprimida pelo aspecto de feridas, que não cicatrizam, todas...