Pacientes reclamam da falta de medicamentos de alto custo nos postos de saúde de São José dos Campos (SP). Além disso, eles se dizem preocupados com a mudança do local de entrega dos remédios. A partir de 4 de janeiro prefeitura anunciou que não fará mais a entrega dos remédios que são fornecidos pelo Estado.

A farmácia de alto custo funciona em um prédio em frente ao banhado. Na porta tem um aviso de todos os medicamentos disponíveis e os que estão em falta também. Atualmente, são 35 remédios em falta.

A pensionista Mariana de Souza Silva foi buscar dois remédios e foi embora apenas com um. “Veio um só, o outro já faz uns quatro meses que não vem e ele é para o pulmão. Não posso ficar sem porque o meu pulmão dói um pouco e venho buscar e não tem”, disse.

O aposentado Tarcísio Marcondes dos Santos toma um remédio para artrite reumatóide, não poderia ficar sem porque sente dores muito fortes. Ele deveria receber o medicamento de graça, mas ele está em falta e custa mais de R$ 300. “Vai ser dificil, vai ter que cortar algo, não posso ficar sem”, afirmou.

Fátima Cavacioncchi  também está enfrentando esse problema. Desde setembro, dois remédios que a filha toma para epilepsia estão em falta.

“Em outubro fui informada na farmácia de alto custo é que o Tupinamato ele tiveram problema de entrega e Cobazan estava em ponto de compra. Quando foi em novembro disseram que não chegou”, disse.

Além da dificuldade de pegar os medicamentos, os moradores estão preocupado com a mudança de local de entrega desses medicamentos. “Vai ser mudado para o Parque da Cidade ou para Taubaté, já pensou se vamos para Taubaté e não tem o remédio? O que fazemos?”, questionou a dona de casa Solange Aparecida Mudate.

Outro lado
O Governo do Estado explicou que os medicamentos estão em falta por motivos de atrasos na entrega pelo fornecedor, que não cumpriu a data prevista para entrega e que a secretaria vem cobrando a entrega com urgência.

Informou ainda que um dos medicamentos é responsabilidade de compra pelo Governo Federal e teve atraso no envio por parte deles. Eles não comentaram o motivo do atraso, mas disseram que agora já foi normalizado, ou seja, o  cloridrato de donepezila deverá ser entregue na volta do recesso.

Em relação ao local de distribuição, que não será mais feito através da prefeitura, o Estado disse que ainda não definiu o novo local de distribuição.

Fonte: G1

Olá, participe da conversa, deixe o seu comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.