Colunas da Pri Coronavirus Notícias

Pacientes com doenças crônicas e comorbidades serão vacinados na 1º fase da vacinação contra o coronavírus

Pacientes com doenças reumáticas imunomediadas, diabetes, hipertensão, cardiopatias, anemia falciforme, doença renal crônica, síndrome de down e todos os pacientes imunossuprimidos serão vacinados contra o coronavírus,  na 1º fase da imunização.

O Ministério da Saúde publicou no dia 21 de janeiro de 2021, o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, que define a lista de grupos prioritários que serão vacinados contra o coronavírus na 1º fase do plano nacional de imunização, a lista é definida pela ordem de prioridade, que deve ser respeitada em todos os Estados e Municípios brasileiros.

O 12º grupo prioritário de vacinação, é composto por pessoas com idade entre 18 a 59 anos, que convivem com as seguintes doenças e comorbidades:
Orientações sobre a vacinação contra coronavírus - MS janeiro 2021 (1)

  • Diabetes Mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão Arterial Resistente (HAR)
  • Hipertensão Arterial estágio 3
  • Hipertensão Arterial com comorbidades
  • Insuficiência cardíaca (IC)
  • Cor-­‐pulmonale e Hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias
  • Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • Doenças reumáticas imunomediadas _ DRIM
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênita no adulto
  • Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados
  • Doença cerebrovascular
  • Doença Renal Crônica
  • Imunossuprimidos
  • Anemia Faciforme
  • Obesidade Mórbida
  • Síndrome de Down

Segundo o Ministério da Saúde, para serem vacinados não é obrigatório a  apresentação do relatório médico. O paciente poderá apresentar qualquer documento que comprove a condição exigida para vacinação neste grupo de prioridades, sendo válido:

  • Receitas dos medicamentos utilizados para tratar a doença, sendo válido por exemplo, os documentos que comprovam o recebimento de medicamentos por meio da farmácia de alto custo. 
  • Exames que comprovam a doença
  • Relatório médico: para aqueles pacientes que já possuírem, não sendo obrigatório a apresentação de relatório médico.

Os pacientes com essas doenças devem seguir atentamente ao calendário da vacinação de sua cidade, ficando atento ao grupo que estiver sendo vacinado, para isso, recomendamos acompanhar pela lista que classifica a ordem dos grupos prioritários que são:

  1. Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
  2. Pessoas com deficiência institucionalizadas
  3. Povos indígenas vivendo em terras indígenas
  4. Trabalhadores de saúde
  5. Pessoas de 80 anos ou mais
  6. Pessoas de 75 a 79 anos
  7. Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas
  8. Povos e comunidades tradicionais quilombolas
  9. Pessoas de 70 a 74 anos
  10. Pessoas de 65 a 69 anos
  11. Pessoas de 60 a 64 anos
  12. Indivíduos com comorbidades (doenças que favorecem o agravamento da Covid-19)
  13. Pessoas com deficiência permanente grave
  14. Pessoas em situação de rua
  15. População privada de liberdade
  16. Funcionários do sistema de privação de liberdade
  17. Trabalhadores da educação do Ensino Básico
  18. Trabalhadores da educação do Ensino Superior
  19. Forças de segurança e salvamento
  20. Forças Armadas
  21. Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros
  22. Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário
  23. Trabalhadores de transporte aéreo
  24. Trabalhadores de transporte aquaviário
  25. Caminhoneiros
  26. Trabalhadores portuários
  27. Trabalhadores industriais

Informações aos pacientes reumáticos: 

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, as Doenças Reumáticas Imunomediadas mais frequentes são: As doenças reumáticas imunomediadas mais comuns são a artrite reumatoide, as espondiloartrites, a artrite psoriásica, o lúpus, a esclerose sistêmica (esclerodermia), a síndrome de Sjögren, miopatias inflamatórias e as vasculites. Não estão incluídos neste grupo, as pessoas que convivem com fibromialgia, artrose, osteoporose e gota.

Os critérios para vacinação dos pacientes reumáticos com doenças imunomediadas são: Doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias. Preferencialmente o paciente deve ser vacinado estando com a doença controlada ou em remissão, como também em baixo grau de imunossupressão ou sem imunossupressão. Entretanto, a decisão sobre a vacinação em pacientes com DRIM deve ser individualizada, levando em consideração a faixa etária, a doença reumática autoimune de base, os graus de atividade e imunossupressão, além das comorbidades, devendo ser sob orientação de médico especialista. A escolha da vacina deve seguir as recomendações de órgãos sanitários e regulatórios, assim como a disponibilidade local.

Nas orientações sobre vacinas contra o novo coronavírus para pacientes com doenças reumáticas da Sociedade Brasileira de Reumatologia, os pacientes são alertados sobre a importância da decisão compartilhada sobre a vacinação contra o covid-19, sendo recomendado ao paciente que consulte o seu reumatologista sobre as adequadas orientações para a imunização segura.

Fonte:

Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19:

Clique para acessar o planovacinacaocovid_v2_29jan21_nucom.pdf


planovacinacaocovid_v2_29jan21_nucom

Orientações sobre vacinas contra o novo coronavírus para pacientes com doenças reumáticas da Sociedade Brasileira de Reumatologia:http://reumatologia.org.br/downloads/pdf/Informativo%20para%20pacientes%20com%20DRIM%20SBR%20sobre%20vacinas%20covid%2026%2001.pdf

Informativo para pacientes com DRIM SBR sobre vacinas covid 26 01 (1)

Artigos Relacionados

Diferença entre psoríase e artrite psoriásica #encEA2018

Priscila Torres

ReumaLive: Como o Coronavírus está se manifestando em pacientes reumáticos

Priscila Torres

Lúpus se manifesta de diversas formas e requer acompanhamento

Priscila Torres