Muitas pessoas me perguntam se ainda sinto dores, sinto sim quase todos os dias, mais a minha força e alegria de viver são maiores

Sou Waldenisia Dias da Pascoa Costa (conhecida como Wal Pascoa ), professora e modelo plus size, tenho 46 anos, casada, tenho 3 filhos e 3 netos e uma enorme alegria de viver. Sempre fui uma garota gorda e muito bem resolvida, nunca deixei que esses paradigmas de padrões me atingisse.

Fui uma criança com alguns problemas ortopédicos e com 25 anos de idade comecei a sentir fortes dores nas costas e sempre os médicos diziam que era o peso, passaram-se anos nessa agonia até que em 2011, após um período de dores, deformidades nos braços e um longo período de sofrimento em busca de um médico que amenizasse esse sofrimento, fui diagnosticada através de exames com ‘Artrite Reumatoide, uma doença crônica que não tem cura, mais graças a Deus tem tratamento que é muito agressivo.

Foi muito difícil no início pois, as dores eram terríveis e a mobilidade muito reduzida, coisas fáceis como abrir uma torneira, pentear os cabelos e etc… não eram mais possíveis. Isso tudo foi me angustiando e acabei adquirindo outro problema de saúde a fibromialgia, senti um luto em vida, achei que não iria resistir a tanta dor, as pessoas que te rodeiam não entendem a gravidade desse problema foi aí que tomei uma grande decisão em minha vida.

Já que AR não tem cura eu tenho que aprender a conviver com ela e a melhor maneira é conhece-la, iniciei pesquisas, leituras, depoimentos e ao longo do tempo fui me informando e repassando para familiares e amigos todas as informações que ia descobrindo e passou a ser um interesse comum a todos que me cercavam.

Os medicamentos eram muito agressivos e fiquei muito inchada, com enjoos e várias outras reações e aos poucos fui aprendendo a conviver com essa doença, só que em 2015 ela me deu uma rasteira, como a AR é consideradas inflamações nas juntas e a minha tinha sido diagnosticada como ” migratória ” pois, percorria todo o corpo, a inflamação tinha se instalado no meu pé direito reduzindo meu deslocamento.

Enquanto não descobria a causa continuei andando com o pé de lado e foi onde complicou pois, deslocaram vários tendões complicando ainda mais o caso, foram 3 meses de cama sem andar e depois vários meses andando de bengala o tratamento durou mais de 1 ano e tive que mudar radicalmente meus calçados, sendo necessário calçados com palmilhas ortopédicas.

Logo eu que sempre gostei de salto, super vaidosa, mas era isso ou perder o movimento do pé. Como eu já vinha fazendo um trabalho interior de aceitação da doença, tive que aceitar mais essa condição. Apesar de tudo que estava acontecendo, eu tentava manter a alegria de viver e agradecia a Deus por estar viva pois, nos 2 anos iniciais achava que iria morrer , até uma festa de aniversário fiz reunindo todos os amigos para me despedir e prometi para mim que se escapasse de 5 em 5 anos iria juntar todos e comemorar a vida.

Deu certo em 2015 comemorei em grande estilo meus 45 anos com uma linda festa de tema ” Moulin Rouge”, com direito a book sensual e coreografia. Em 2016, a convite da amiga Mônica que tinha uma loja de roupas plus size, fui assistir um desfile de beleza Plus Size, era o Miss Plus Size Ceará, idealizado por Jaqueline Queiroz, embaixadora do movimento Plus Size no Ceará e fiquei deslumbrada ao ver várias mulheres gordas e de várias idades desfilando, elas estavam lindas e logo veio uma lembrança de infância que era ser MISS mas, sempre fui gorda e infelizmente não me encaixava nos padrões da época.

Ao iniciar o desfile fiquei encantada com tanta beleza é ali naquele momento me veio uma força interior e comentei com meu esposo: Em breve estarei nessa passarela desfilando e fui superando cada dia minha enfermidade e em 2018 com 45 anos, pude realizar aquele sonho de infância ” O Sonho de Ser Miss” , representei meu Município Caucaia na Categoria Sênior e foram meses de preparação e aprendizagem até que em outubro/2018 aconteceu o desfile.

Com traje de banho e traje de gala, entrei na passarela com tanta alegria que contagiou o público e os jurados, naquele momento passou um filme na minha cabeça de tudo que passei ao longo destes 7 anos . Após um desfile radiante veio a surpresa, fui eleita a “2°Princesa Plus Size Ceará Sênior 2018 ‘ (3° lugar) e eleita através do voto de minhas amigas e candidatas do Concurso a “Miss Simpatia Plus Size Ceará 2018 “.

A felicidade tomou conta de mim, muitos sentimentos surgiram em minha mente, mais a sensação de superação foi a melhor, e muitas pessoas me perguntam se ainda sinto dores, sinto sim quase todos os dias, mais a minha força e alegria de viver são maiores.

E não parou por aí, em 2019 no carnaval realizei mais um sonho, que era desfilar no carro alegórico na Sapucaí, foi simplesmente mágico. Em julho / 2019 representei meu Estado Ceará no Concurso: A Mais Bela Gordinha do Brasil no Rio de Janeiro e para minha alegria fui eleita por júris renomados como ” A Mais Bela Gordinha Destaque do Brasil “.

Estou compartilhando minha vida com vocês, para que outras mulheres se apropriem e se identifique com minha história, buscando superar suas enfermidades do corpo e da alma.

“Dor Compartilhada é Dor Diminuída”, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

É simples, preencha o formulário no link http://ow.ly/gGra50nFGJp

Doe a sua história!

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));
%d blogueiros gostam disto: